Surfista Felipe Cesarano é condenado a 5 anos por homicídio

Surfista de ondas gigantes, Felipe Cesarano dirigia sob efeito de álcool e matou um sargento da Marinha. Foto: (Reprodução/Instagram)
Surfista de ondas gigantes, Felipe Cesarano dirigia sob efeito de álcool e matou um sargento da Marinha. Foto: (Reprodução/Instagram)

Felipe Cesarano, surfista de ondas gigantes, foi condenado a cinco anos de prisão por causa do homicídio culposo cometido contra Diego Gomes da Silva, sargento da Marinha, em dezembro de 2020. Ao dirigir sob o efeito de álcool, Cesarano bateu a sua camionete contra o carro de Diego, matando o oficial. À época, Felipe Cesarano confessou que estava em alta velocidade, acima do permitido, na via. O surfista poderá recorrer da decisão em liberdade até que haja o trânsito em julgado da ação, mas lhe é impedido de dirigir e deixar o país durante o período de cinco anos.

Imagens de câmeras de segurança mostram que, ao perder o controle do veículo, a camionete de Felipe Cesarano invadiu a pista contrária da autoestrada Lagoa-Barra e se chocou contra o carro do militar, que faleceu na hora por não resistir aos ferimentos. O surfista apenas sofreu ferimentos leves e foi atendido no local, sem precisar do transporte a uma unidade de saúde.

Leia também:

A perícia feita no veículo de Cesarano mostrou que ele dirigia entre 123 km/h e 144 km/h e que havia garrafas de cerveja no interior da camionete. Detido à época, Felipe Cesarano já havia recebido multas anteriores por ter dirigido em alta velocidade.

Conhecido como "Gordo", Felipe Cesarano foi enviado ao presídio de Bangu ainda na época do acidente que vitimou Diego Gomes da Silva. O crime que lhe foi imputado foi o de homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Quando detido e submetido a exames de sangue, foi constatada quantidade suficiente de álcool em seu corpo para afirmar que o surfista estava alcoolizado.

O carioca, como surfista, chegou a concorrer ao Oscar de ondas gigantes da WSL, mas não levou o prêmio.