Surfista brasileiro morre em onda gigante de Nazaré, em Portugal

LISBOA, PORTUGAL (FOLHAPRESS) - Um dos pioneiros no surf de ondas gigantes, o brasileiro Márcio Freire, 47, morreu na tarde desta quinta-feira (5) após sofrer um acidente no mar da praia do Norte, na cidade de Nazaré, no centro de Portugal.

A região, que é conhecida pelas grandes ondulações, atrai surfistas de todo o mundo e já foi palco de acidentes graves, como o ocorrido com a também brasileira Maya Gabeira em 2013. Márcio Freire, no entanto, foi a primeira vítima fatal registrada no chamado "Canhão da Nazaré".

Segundo informações da Polícia Marítima, o surfista foi resgatado e rebocado de moto aquática até a areia, onde os salva-vidas constataram que ele se encontrava em parada cardiorrespiratória. As manobras de reanimação começaram imediatamente e prosseguiram até a chegada das equipes de socorro.

"Após várias tentativas [de reanimação], não foi possível reverter a situação, tendo o óbito sido declarado no local pelos elementos do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica)", afirma, em nota, a autoridade marítima portuguesa.

O corpo do atleta foi transportado para o Instituto de Medicina Legal de Leiria.

De acordo com frequentadores da praia do Norte, as ondas no momento do acidente estavam com cerca de 6 metros. O recorde de maior onda surfada no local é de 26,2 metros.

Natural da Bahia, Márcio Freire foi um dos pioneiros no surfe de ondas gigantes. O atleta colecionou aventuras em praias de todo o mundo.

Sua atuação no Havaí, sem equipamentos de segurança e encarando o mar "na remada, fez com que recebesse, junto com Danilo Couto e Yuri Soledade, o apelido de "mad dog"(cachorro louco).

Familiares do atleta estavam na praia no momento e estão recebendo apoio do gabinete de psicologia da Polícia Marítima.