Superliga ameaça a 'essência do futebol', diz presidente da La Liga

O projeto da Superliga Europeia é um "conceito muito perigoso", que ameaça a "essência do futebol", alertou o presidente da Liga Nacional de Futebol Profissional da Espanha, Javier Tebas, nesta sexta-feira (18).

"Estes clubes que fundaram a Superliga Europeia querem gerir o futebol porque são os que mais têm receitas, mas tudo isso seria completamente disfuncional para o esporte", disse Tebas em uma coletiva de imprensa organizada pela Liga Portuguesa, em Porto.

"O presidente do Real Madrid diz que vai proteger o futebol, mas estamos bem e não queremos que ele nos proteja", argumentou o dirigente, crítico à posição do time merengue.

"Na Espanha temos um campeonato equilibrado e sempre há clubes grandes, pequenos e médios. Não precisa ser um modelo dirigido apenas por clubes ricos. Não faz sentido", disse o presidente da 'La Liga'.

Tebas também atacou clubes que acreditam que podem arcar com grandes perdas e desrespeitar a igualdade esportiva.

"Queremos modelos economicamente sustentáveis. Se temos magnatas e clubes estatais, como PSG ou Manchester City, inflamos o negócio e destruímos clubes que querem atividades lucrativas. Para defender os empregos que geramos, temos que ter um negócio lucrativo", apontou.

O projeto da Superliga, cujo objetivo seria competir com a Liga dos Campeões, foi amplamente criticado no ano passado, quando lançado em abril.

Após várias semanas tentando contornar a situação, a A22 Sports Management, assumiu o controle do projeto.

Real Madrid, Barcelona e Juventus são os apoiadores do torneio, em comparação aos 12, no início do projeto.

bcr/tsc/cd/rsc/psr/yr