Supercopa: Flamengo joga por hegemonia no duelo mais decisivo contra o Palmeiras nesta 'nova era'

LANCE!
·2 minuto de leitura


Na temporada, o grupo principal do Flamengo terá o primeiro confronto contra um time da Série A.. E já valerá taça. A partir das 11h deste domingo, o Rubro-Negro enfrenta o Palmeiras pela Supercopa do Brasil, no Mané Garrincha, com a possibilidade de pender a balança da hegemonia significativamente a seu favor, além de defender uma invencibilidade que dura desde 2017.

São três vitórias e três empates do Flamengo de lá para cá, todos pelo Brasileiro, algo que os rubro-negros podem gabar-se em meio à rivalidade efervescente entre os clubes (veja mais aqui), que são as principais potências econômicas do futebol nacional e os últimos campeões do Brasileiro e da Libertadores, por exemplo.

Dá para dizer que Fla e Palmeiras brigam pela primazia no cenário brasileiro e agora terão o duelo mais decisivo nesta "nova era" de protagonismo da dupla, cujo berço da polarização foi no Brasileiro de 2016, passando por provocações de "cheirinho" e "Palmeiras não tem Mundial" através dos próprios atletas, inclusive, ao longo dos anos.

- A nossa motivação maior é vencer, competir. É uma característica forte do elenco... Sete títulos nos últimos dois anos. Isso é muito difícil. Às vezes pessoas falam que parece fácil, mas não. Todas as conquistas devem ser comemoradas. A motivação vem do interior. Dos objetivos, vontades, respeitando adversários, mas é o que estamos acostumados a fazer, ser melhor do que nós fomos ontem. E é isso que a gente vai fazer - disse Diego, capitão do Fla.

Rogério Ceni, por sua vez, está ciente de que, além do fator supremacia, o título contra o rival paulista será essencial para a solidificação de seu trabalho:

- Se você conquista o título, é o melhor momento. Se não conquista o título, as pessoas acham que volta à estaca zero. A conquista, e não só a forma de jogar, faz parte da avaliação das pessoas que assistem - falou Ceni, em entrevista coletiva durante evento oficial da CBF.

O supercampeonato renderá R$ 5 milhões de premiação via CBF. Para o Flamengo, aliás, também é a possibilidade de conquistar o bi da competição e tornar o feito inédito - em 2020, levou a taça ao vencer o Athletic-o-PR por 3 a 0, também na capital federal.

Taça Supercopa
Taça Supercopa

Taça da Supercopa do Brasil (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O TIME TITULAR

Sem poder contar com Pedro e Thiago Maia, Rogério Ceni deve mandar a campo o seguinte time: Diego Alves; Isla, Willian Arão, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Diego, Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol.

O LANCE! transmite a aguardada decisão que oporá o campeão do Brasileiro e o da Copa do Brasil da temporada passada em Tempo Real, a partir das 10h.