Após sucesso “sem a bola”, Timão trabalha para se impor no Paulista

Mesmo sem apresentar um futebol que encante a sua torcida, o Corinthians tem a seu favor o fato de ter conseguido bons resultados nos jogos mais importantes do ano. Invicto em clássicos e duelos de mata-mata, quase sempre aproveitando brechas em contra-ataques enquanto o rival ficava mais tempo com a bola, o Timão quer agora melhorar sua produção ofensiva para vencer o duelo frente ao Botafogo-SP, neste domingo, time que deve pouco atacar no estádio de Itaquera.

“Realmente é aí que está o nosso desafio”, afirmou o meia Rodriguinho, peça fundamental no setor de criação, que mostrou certa preocupação com a dificuldade que o Alvinegro demonstra em construir suas principais jogadas. Para ele, o clube precisará mostrar uma criatividade maior com a bola nos pés se quiser assegurar uma classificação no tempo normal.

Depois do 0 a 0 no jogo de ida, em Ribeirão Preto, a equipe do Parque São Jorge precisa de uma vitória para avançar à semifinal. Caso perca, está fora, enquanto um novo empate leva a decisão para a disputa de pênaltis, sem diferenciação de gols marcados fora de casa.

“Vamos enfrentar uma equipe que vai se defender bastante, explorar os contra-ataques. vamos ter de propor o jogo, com poucos espaços, tentando triangular e criar os espaços. Temos de trabalhar forte esses dias para que isso seja uma tônica do jogo”, avaliou o meio-campista, descartando, porém, que a equipe saia com tudo para o ataque.

“Não podemos também nos expor porque, se tomarmos o gol, fica complicado de tirar. Se conseguirmos fazer um gol no primeiro tempo facilita muito o jogo. Se persistir o 0 a 0 fica muito mais difícil. Tem que atacar forte, não deixar o adversário respirar nem um minuto”, observou, já ciente dos problemas adquiridos em disputas eliminatórias em Itaquera, com cinco eliminações em dois anos.

T”em essas estatísticas aí, foram coisas que aconteceram, mas têm que ficar no passado. O nosso time tem que focar primeiro nos 90 minutos. Lógico que tem de treinar pênaltis porque é uma situação que pode ocorrer, mas a gente espera melhorar esse nosso aproveitamento antes de precisar ir para esse desempate”, avaliou, mostrando confiança no futebol apresentado até o momento.

“Não me incomodo nem um pouco com ser a quarta força. Por enquanto vai dando tudo certo o que a gente faz em campo, já vencemos os clássicos, já mostramos que temos totais condições de vencer os favoritos. Provamos agora na Sulamericana, Paulista tivemos a segunda melhor campanha, esperamos chegar forte em todos os campenatos que disputamos”, concluiu o jogador.