Suíça aposta na experiência do time contra os grandes na Copa do Mundo

A seleção que empatou com o Brasil na estreia e chegou às oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia está acostumada a grandes desafios. É o que garante o técnico Murat Yakin, que espera que os suíços repitam hoje, às 13h, contra o Brasil, o desempenho que obteve contra gigantes nos torneios europeus.

Você escala: quais os seus 11 titulares do Brasil na Copa do Mundo?

Guia interativo: saiba tudo sobre os 831 jogadores que disputam o Mundial

Foi um ciclo de Copa do Mundo de mudanças para a Suíça. Vladimir Petkovic, que ficou sete anos no comando, deixou a seleção após a Eurocopa-2021 para assumir o Bordeaux, da França. Com a mesma base desse time que encara o Brasil, os suíços chegaram às quartas da competição continental, eliminando a França nas oitavas. Na atual edição da Liga das Nações, o time de Xhaka e Shaqiri chegou a vencer a Espanha fora de casa.

— Estamos acostumados a enfrentar grandes seleções e temos nossas próprias armas. Preciso me preocupar com o nosso time, temos jogadores rápidos. Sabemos que será um jogo completamente diferente do que foi contra Camarões, mas podemos vencer— enfatizou o treinador.

Na estreia, os suíços venceram Camarões por 1 a 0, gol de Embolo, que não comemorou por ter nascido no país africano. Ele é a principal referência no ataque, com Shaqiri, que hoje atua na liga dos Estados Unidos, jogando mais aberto pela direita. O experiente atacante estava em campo há quatro anos e espera repetir boa atuação hoje:

— Em 2018, foi um jogo difícil, conseguimos um bom resultado. Temos consciência do que somos capazes de fazer, evoluímos, ganhamos experiência, jogamos contra grandes equipes e estamos confiantes.

‘Espero que ele não repita’

Xhaka, do Arsenal, é o principal articulador no meio-campo, e fez boa estreia, assim como o meia Freuler. Outro destaque suíço está no gol: Sommer vive boa fase no Borussia Mönchengladbach e, há quatro anos, foi um dos responsáveis diretos pelo empate em Rostov do Don.

Yakin elogiou a qualidade dos jogadores brasileiros e não acredita em queda de rendimento da equipe com a ausência de Neymar, lesionado. Questionado sobre o que achou do desempenho de Richarlison na vitória sobre a Sérvia, com direito a um golaço de voleio, afirmou, bem humorado:

— Foi incrível. É por isso que assistimos futebol, por isso que amamos este esporte. Mas espero que ele não repita isso contra nosso time. Sabemos que eles têm grandes jogadores e que não precisam de muitos espaços para fazer um gol como aquele. É muita qualidade, incluindo no gol. Precisamos estra prontos para não darmos espaços.

Dos jogadores que entraram em campo na estreia contra Camarões, Yakin só não poderá contar com Noah Okafor, atacante reserva que entrou no segundo tempo. Ele teve uma lesão muscular.