Stroll evita pensar em fase difícil na F1: “Esse esporte é uma montanha-russa”

Luke Smith
·3 minuto de leitura

O piloto da Racing Point na Fórmula 1, Lance Stroll, evita pensar sobre sua recente e difícil fase na categoria, mas admitiu que "não tem sido divertido". Stroll não conseguiu marcar nenhum ponto desde que terminou no pódio no GP da Itália em Monza, há mais de dois meses, chegando à bandeira quadriculada apenas uma vez neste tempo.

Em comparação, seu companheiro de equipe, Sergio Pérez, marcou 48 pontos no mesmo período de cinco corridas, ajudando a Racing Point na busca pelo terceiro lugar no Mundial de Construtores.

Leia também:

F1: Verstappen lidera TL3 "impossível" na Turquia marcado por chuva e "pista de gelo" Projeto do circuito de F1 da Arábia Saudita deve priorizar ultrapassagens Pirelli afirma que descobriu sobre recapeamento na pista do GP da Turquia muito tarde

Stroll sofreu uma batida forte enquanto corria na zona de pontuação em Mugello, antes de uma colisão com Charles Leclerc na primeira volta na Rússia, que o obrigou a abandonar.

O canadense perdeu então o GP de Eifel em Nurburgring devido a um mal estar - posteriormente testando positivo para COVID-19 - e abandonou ao retornar em Portugal, após confronto com Lando Norris.

Stroll então lutou na última corrida em Imola, terminando em 13º e atropelando um dos mecânicos da equipe nos boxes durante a corrida, o que levou Racing Point a dizer que ele precisava recuperar sua confiança depois de sofrer uma “surra” mental nas últimas semanas.

Refletindo sobre os últimos dois meses antes do GP da Turquia neste final de semana, Stroll admitiu que foi um período difícil de superar, mas ressaltou que não quer pensar nas oportunidades perdidas. “Não foi divertido, não vou mentir”, admitiu Stroll.

“Tem sido frustrante às vezes. Mas você sabe, esse esporte é uma montanha-russa. Tive alguns altos no início da temporada”.

“Até Monza, realmente, tem sido uma ótima temporada para mim e, infelizmente, agora, eu acabei de passar por uma fase difícil. Não há nada que eu possa fazer sobre isso”.

“Em retrospecto, há definitivamente algumas coisas que eu acredito que poderia ter feito de forma diferente. Houve alguns erros que cometi em algumas das corridas e isso me custou alguns pontos”.

“Então houve apenas circunstâncias infelizes, como Mugello, como a Rússia, então, é claro, perder a corrida em Nurburgring estava longe do ideal. Mas isso é passado agora. Não há nada que eu possa fazer sobre isso”.

“Em vez de insistir nisso, estou ansioso para as próximas quatro corridas. Sei que temos um pacote forte e há muitas oportunidades nas próximas quatro corridas para voltarmos com força”.

“Minhas metas estão definidas neste final de semana como está e no restante da temporada”.

Todas as notícias sobre o GP da Turquia de F1 você acompanha no site do Motorsport.com e em nosso canal no YouTube. Fique por dentro de todas as novidades e análises, além de conferir nossos programas e vídeos!

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Hamilton despista sobre Rosberg, analisa Bottas e ‘esquece’ Alonso; assista e entenda

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da F1 2021 é o mais correto? Ouça o debate

Your browser does not support the audio element.