STJD rejeita pedido de Rogério Caboclo e dirigente segue afastado da presidência da CBF

·2 minuto de leitura


O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu indeferir o Mandado de Garantia contra a decisão da Comissão de Ética da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) protocolado por Rogério Caboclo. O dirigente pretendia voltar à presidência da entidade, porém seguirá afastado de acordo com a decisão do tribunal.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro


Cabe salientar que o cartola está afastado da presidência por 60 dias devido à acusação de assédio feita por uma funcionária da CBF, no último dia 6 de junho. Neste sentido, vale destacar que Rogério Caboclo pode entrar com um recurso depois da decisão do STJD, e ir ao Pleno do Tribunal.

+ Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos: onde assistir e curiosidades sobre o evento


- Assim é que diante da decadência do direito da parte de impetrar o presente Mandado de Garantia, falta à Inicial um dos requisitos essenciais, sendo pois, impositivo, o indeferimento da Exordial. Pelo exposto, INDEFIRO liminarmente a Inicial do Mandado de Garantia, na forma do art. 94 do CBJD - argumento presente do texto.

De acordo com a decisão, Rogério Caboclo ficará afastado até o mês de setembro. Dessa forma, se o dirigente não conseguir provar a sua inocência, ele será desligado de maneira efetiva do comando da CBF.

+ Richarlison marca três, Simone Biles brilha em treino e mais: veja o resumo do dia dos Jogos Olímpicos


Atualmente, o Coronel Nunes segue à frente da entidade como presidente durante este período. Ele será responsável por convocar uma eleição no prazo de 30 dias, que decidirá um dos oito vice-presidentes para assumir um mandato "tampão" até abril de 2023.

Em sua defesa, divulgada pelo portal ESPN, Caboclo acusa o ex-presidente Marco Polo Del Nero de ter organizado um complô no polêmico caso de assédio à uma funcionária da entidade. O cartola e pessoas mais próximas confiavam na decisão do STJD de que o cartola voltaria à CBF. Porém, sofreu mais uma derrota na queda de braço para tentar permanecer no cargo.

- Apesar de banido para sempre do mundo do futebol por causa de escândalos de corrupção, o ex-presidente da CBF Marco Polo Del Nero tem sido anfitrião de festas do grupo que assumiu o controle da entidade após o afastamento temporário do atual presidente, Rogério Caboclo - disse a assessoria de Caboclo, em nota enviada ao portal ESPN.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos