STJD quer julgar o Cruzeiro ainda em 2019. Histórico indica punição pesada

Yahoo Esportes
Torcedor do Cruzeiro se feriu durante confusão na derrota para o Palmeiras, no Mineirão (Fernando Moreno/AGIF)
Torcedor do Cruzeiro se feriu durante confusão na derrota para o Palmeiras, no Mineirão (Fernando Moreno/AGIF)

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) quer julgar todas as situações referentes ao Campeonato Brasileiro até o dia 19 deste mês, quando encerrará os trabalhos nesta temporada. O desejo dos auditores é que fique para o ano que vem apenas o julgamento dos recursos. Por isso, a punição para o Cruzeiro, por tudo o que aconteceu no Mineirão, na última rodada do Brasileirão, deve sair até a próxima semana.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Na derrota para o Palmeiras, que confirmou o rebaixamento cruzeirense à Série B, alguns torcedores não aceitaram a queda e iniciaram uma grande quebradeira no Mineirão. Cadeiras foram arremessadas no gramado, bombas estouravam a todo momento e muita correria nas arquibancadas do estádio. Por falta de segurança, o árbitro Marcelo de Lima Henrique encerou o jogo antes do tempo. A partida foi paralisada aos 40 minutos da etapa final.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

As imagens de tudo o que aconteceu no Mineirão já foram solicitadas. E pelo histórico de punições do STJD em situações semelhantes, ocorridas na última rodada de edições anteriores do Brasileirão, o Cruzeiro pode se preparar para uma punição pesada. Pelo menos num primeiro momento, antes de recorrer e ter uma sentença definitiva.

Foi assim com o Coritiba, em 2009. A equipe paranaense caiu ao empatar dentro de casa, com o Fluminense, em 1 a 1. Revoltados, vários torcedores invadiram o gramado do Couto Pereira e partiram para a briga com a polícia. Cenas fortes e que custaram ao clube uma perda de 30 mandos de campo, além de multa. Posteriormente a punição caiu para dez partidas longe de casa e também redução de R$ 610 mil para R$ 100 mil na multa.

Assim, o Coritiba mandou seus primeiros dez jogos na Série B de 2010 em Joinville. De acordo com a diretoria da época, o prejuízo total do clube com as partidas longe do Couto Pereira foi de R$ 12 milhões. O retorno para a capital paranaense aconteceu somente na 22ª rodada.

Em 2014 foi a vez de Athletico-PR e Vasco serem punidos pela briga das duas torcidas na última rodada do Brasileirão do ano anterior, em Joinville. O jogo marcou o segundo dos três rebaixamentos da equipe carioca desde 2008. Mandante, o Furacão venceu por 5 a 1 e também pegou uma pena maior. Inicialmente foram 12 jogos, que depois se tornaram nove, entre duelos com portões fechados e partidas longe de Curitiba.

O Athletico-PR só jogou em casa e com a torcida presente na 19ª rodada. Até então a equipe paranaense passou por Florianópolis, Brasília, duas vezes Maringá e Uberlândia, além de quatro partidas na Arena da Baixada com os portões fechados. Já o Vasco recebeu seis partidas de punição, sendo três fora do Rio de Janeiro e três com os portões fechados. Teresina, São Luís e Cuiabá foram as cidades que receberam o Vasco durante a punição.

Cruzeiro já tem problemas com outros jogos

É praticamente certo que o Cruzeiro não jogará o primeiro jogo como mandante na Série B em Belo Horizonte. Mas não pela confusão provocada pela torcida na partida com o Palmeiras. O clube já foi punido com a perda de um mando referente aos problemas no clássico com o Atlético-MG, disputado em 10 de novembro. Inclusive, a Raposa só enfrentou o Palmeiras em casa por recorrer da decisão do STJD.

A derrota para o CSA, no Mineirão, pela 35ª rodada do Brasileirão, também pode entrar na lista. O árbitro Vinícius Gonçalves Dias Araújo citou que vários objetos foram arremessados em direção ao gramado, como sinalizadores, copos e garrafas plásticas. O juiz também citou que a partida foi paralisada aos 32 minutos da etapa final por causa de uma confusão generalizada nas arquibancadas do estádio.

Veja mais sobre futebol mineiro no Blog de Victor Martins

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter

Leia também