STJD alega que Inter falsificou documentos em 'caso Victor Ramos'

Inter foi condenado por usar documentos falsos no Caso Victor Ramos - (Foto: Divulgação)

A audiência do caso Victor Ramos, que seria realizada nesta quinta-feira, foi adiada após ausência do ex-presidente do Internacional, Vitorio Piffero, e do atual vice-presidente, Gustavo Juchem. Os dirigentes justificaram a falta por "problema de saúde e compromissos profissionais". Entretanto, o STJD informou, por meio de uma nota, que peritos de São Paulo e Rio de Janeiro, responsáveis pela análise dos documentos enviados pelos dirigentes colorados, encontraram falsificação. Lutando para não ser rebaixado em 2016, o Inter tentou provar que o zagueiro do Vitória estava atuando de forma irregular.

A fraude foi descoberta pelos especialistas em parte dos e-mails inseridos em processos que interessam o Colorado, citando adulterações de "forma e conteúdo, subtração de palavras, textos, nomes e frases, além de inserção indevida de palavras, letras e assinaturas, modificações essas de conteúdo capazes de descaracterizar o seu sentido original".

O STJD informa que uma nova audiência será marcada para que o ex-presidente do clube gaúcho possa ser ouvido.

RELEMBRE

​A denúncia por parte do Internacional está relacionada à transferência de Victor Ramos, ex-jogador do Palmeiras, para o Vitória. Na ocasião, o atleta estava emprestado ao Verdão pelo Monterrey, do México, e, quando acertou com o Rubro-Negro, procedimentos da negociação não teriam seguido as recomendações do TMS, sigla que remete ao Sistema de Mercado de Transferências.

O Internacional ainda alegou a que o registro do jogador foi feito de forma irregular, porque o empréstimo de Victor Ramos do Monterrey para o Vitória aconteceu como se fosse transferência nacional, já que o Certificado de Transferência Internacional (ITC, sigla em inglês) estava ainda no Brasil, uma vez que, na ocasião, o defensor defendia o Palmeiras.

O time gaúcho, que brigava com o Vitória contra o rebaixamento, trouxe o caso à tona, mesmo com o assunto tendo sido "enterrado" no começo do ano passado, quando o Bahia também questionou a condição de jogo de Victor Ramos, sem sucesso.

O Colorado juntou um documento no STJD alegando má fé do Leão. O Inter também pediu a perda de pontos da equipe baiana no Brasileiro. A procuradoria do STJD ouviu as partes envolvidas, inclusive a CBF, e concluiu que não havia irregularidade. O caso chegou ao conhecimento da Fifa, que também deu aval ao Vitória para continuar escalando Victor Ramos.














E MAIS: