STJD acata pedido do Palmeiras, mas pede mais tempo por decisão

Gazeta Press

Empenhado na tentativa de comprovar que houve interferência externa na final do último Campeonato Paulista, o Palmeiras viveu um novo capítulo da disputa judicial nesta quinta-feira. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) entendeu que o mérito da questão deve ser julgado, mas pediu mais tempo para decidir.

O Palmeiras, a princípio, entrou no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP), mas o órgão estadual considerou que a impugnação da final foi requerida fora do limite de dois dias após a publicação da súmula e não julgou o mérito. O clube, por sua vez, alega que o prazo ficou congelado com o pedido de instauração de inquérito.

Acionado pelo Palmeiras após o insucesso no TJD-SP, o STJD teve um entendimento diferente. O órgão considerou que o clube alviverde agiu dentro do prazo regulamentar e decidiu que a eventual interferência externa na final do Campeonato Paulista deve ser analisada.

No entanto, três auditores do STJD pediram mais tempo para estudar o caso, o que levou o órgão a adiar o julgamento para uma nova sessão, sem data marcada. A impugnação da final do Campeonato Paulista, ainda assim, pode ser considerada algo improvável.

O clube presidido por Maurício Galiotte entende que houve interferência externa na arbitragem da decisão estadual, vencida pelo Corinthians. O juiz Marcelo Aparecido marcou pênalti de Ralf sobre Dudu no segundo tempo, mas, oito minutos depois, voltou atrás.

Enquanto o imbróglio envolvendo o Campeonato Paulista permanece sem solução, o clube decide sua vida na Copa do Brasil a partir das 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira. No Estádio do Pacaembu, precisando de uma vitória simples para alcançar a semifinal, enfrenta o Bahia.

Leia também