Startup otimiza excedentes e evita o desperdício de toneladas de alimentos

A paulistana Food To Save tem um objetivo ambicioso. Não, não é virar uma startup com valor de US$ 1 bilhão, mas reduzir o desperdício de alimentos no Brasil — um problema que tem tudo a ver com a crise econômica atual, que levou muitas pessoas a consumir comida de baixa qualidade. O Brasil desperdiça 26,3 milhões de toneladas de alimentos por ano, segundo dados de 2019 da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

A startup resgata e revende excedentes e produtos próximos da validade em estabelecimentos parceiros por meio de delivery ou retirada com até 70% de desconto. Com isso, já foram resgatadas mais de 10 toneladas de alimentos de abril a outubro somente em São Paulo e região do ABC (Santo André, São Bernardo e São Caetano), além de mais de 10 mil sacolas surpresas comercializadas.

As sacolas podem ser compradas por delivery ou retiradas em estabelecimentos parceiros no estado, como restaurantes, padarias, hortifrutis, sacolões e docerias. Os pacotes têm esse nome porque o cliente não escolhe os produtos; eles são selecionados pelos lojistas de acordo com a disponibilidade dos alimentos.

Os pedidos podem ser feitos por aplicativo no sistema Android. Você insere o CEP de onde deseja receber os produtos ou retirá-los, e daí a plataforma mostra os estabelecimentos mais próximos com sacolas à venda no dia, o preço e o tipo de produto que irá na sacola surpresa. Apesar de não ser possível selecionar os produtos, pode-se escolher entre os sabores doce, salgado ou ambos.

O modelo ajuda também os pontos de venda, que poderão atrair clientes que normalmente não comprariam os produtos com o preço cheio. “Nós queremos revolucionar o desperdício de alimentos no Brasil e, ainda, fazer com que mais pessoas tenham acesso a bons alimentos, e se a gente pode fazer isso de forma mais sustentável e ajudando o meio ambiente, por que não?”, afirmou à Exame o CEO e cofundador da Food to Save, Lucas Infante.

A plataforma também busca estar presente em todos os lugares, de bairros de classe alta até regiões periféricas. A empresa tem a meta de chegar a 600 estabelecimentos até o fim do ano e expandir para todos os bairros da grande São Paulo e outras cidades do país.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: