'Stalking': Lei contra perseguição virtual e física é sancionada

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
Beautiful young woman walking and being stalked by man criminal on the street at night. Dangerous situation for lonely female. Unrecognizable male figure with hidden face in hood walking, looking dangerous, stalking night robber burglar, bad troubled period, hooded guy Following frightened woman
Pena para quem cometer crime de perseguição é de 6 meses a dois anos, com pagamento de multa

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou nesta quarta-feira (31) a lei Nº 14.132, que tipifica o crime de perseguição, prática também conhecida popularmente como “stalking”. A pena é de seis meses a dois anos de prisão, com pagamento de multa. 

Leia também:

A lei, publicada nesta quinta-feira (1º) no DOU (Diário Oficial da União), prevê que é crime “perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio [físico ou digital], ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade”. 

“Molestar alguém ou perturbar-lhe a tranquilidade” antes eram atos considerados como contravenções penais e não como crime. A condenação era de 15 dias a dois meses de reclusão, com pagamento de multa.

Aumento da pena

O tempo de prisão pode ser aumentado se o crime for cometido contra mulheres, crianças, adolescente, idoso e mulheres. A pena também é maior caso a ação seja feita mediante concurso de duas ou mais pessoas ou com uso de arma de fogo.