St-Pierre critica novo sistema de pesagem no UFC: "Um dia alguém vai morrer"

Georges St-Pierre enfrentará Michael Bisping pelo cinturão dos pesos-médios - Diego Ribas

Georges St-Pierre mal retornou ao UFC e já tem todos os olhos voltados para a sua performance no octógono, mesmo que ele ainda não tenha uma data para isso. Em sua última entrevista, o canadense garantiu que pode competir em três categorias diferentes, mas deixou claro que é contrário aos cortes bruscos de peso, e fez importante alerta sobre o tema.

Enquanto as Comissões Atléticas passaram a permitir as pesagens durante a manhã do dia anterior ao evento, o que garantiu aos atletas mais tempo para se recuperarem e hidratarem seus corpos para o combate, GSP atacou a medida. Afinal, ela motivaria alguns competidores a cortarem ainda mais peso.

“Não sou fã de cortar peso. Acredito que a nova pesagem de manhã é ruim. Os caras veem oportunidade de cortar mais peso. Falei para o Dana isso. Algum dia alguém vai morrer, e vai afetar todos. Poderíamos aprender com o boxe, pesar um mês antes, no dia anterior e no dia da luta. Então você tem uma certa porcentagem de massa que você não pode perder ou ganhar”, narrou ao ‘UFC Unfiltered Podcast’.

Embora ainda sem data para pisar no octógono, o canadense foi confirmado como próximo desafiante ao cinturão dos pesos-médios, hoje em poder de Michael Bisping. Apesar disso, o ex-campeão dos meio-médios (77 kg) garantiu que pode retornar para sua divisão de origem ou até mesmo descer para os leves (70 kg).

“Se eu me sentir bem, eu ficarei nos médios. Se eu sentir que não é bom… Tem três classes que posso lutar. Não sou um grande meio-médio, sou normal. Peso entre 84 kg e 87 kg. Tem até alguns pesos-leves que são maiores do que eu as vezes”, afirmou.