'Squadra bagnata, squadra fortunata': Crespo foi fundamental para goleada do São Paulo no clássico

Gabriel Santos
·3 minuto de leitura


A frase em italiano na manchete deste texto, dita por Crespo nessa semana, significa: 'Time que toma chuva é time que tem sorte'. Foi exatamente isso que o São Paulo mostrou na goleada sobre o Santos por 4 a 0, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. Um primeiro tempo bem mediano, muito por conta da situação do gramado, repleto de poças d´água e uma segunda etapa avassaladora.

ATUAÇÕES: Daniel Alves se destaca em goleada do São Paulo contra o Santos

Mas porque o time mudou tanto de uma parte do jogo para outra. O principal fator tem nome e sobrenome: Hernán Crespo. O treinador argentino soube ler a partida, mudou o esquema e dominou a equipe santista no segundo tempo, apostando em velocidade nas pontas e troca rápida de passes.

CONFIRA A TABELA ATUALIZADA DO CAMPEONATO PAULISTA DE 2021

Mesmo com a forte chuva que caiu no final da tarde em São Paulo, o Tricolor apostou na entrada de Rodrigo Nestor como volante, dando mais qualidade no passe. Luan foi o escolhido para começar no banco. No entanto, o jovem não conseguiu aparecer muito na partida, até por conta das poças formadas no campo, que prendia muito a bola.

- Precisávamos de gente dinâmica, porque Luan é um jogador de força e prestígio, mas entendíamos que o jogo num meio campo com Sara, Nestor e Daniel Alves nos daria uma velocidade de jogo, que lamentavelmente o campo não permitiu no primeiro tempo. Futebol tem muitas opções e caminhos pra chegar à vitória, mas sem a garra dos jogadores é impossível - disse Crespo.

Com três zagueiros e Igor Vinicius na ala, o Tricolor dava espaço e o Santos abusou das jogadas pela ponta esquerda com Soteldo. No ataque, o São Paulo não conseguia assustar a meta santista, Veio o intervalo, e Crespo voltou com uma alteração que mudou a partida para o lado são-paulino.

O voltou com o atacante Rojas no lugar do zagueiro Arboleda, voltando a formação com uma linha de quatro na defesa e colocando uma pulga atrás da orelha no lado esquerdo santista. Soteldo e Felipe Jonathan ficaram mais presos para marcar o equatoriano, o que quebrou o ataque santista daquele lado do campo.

- Arboleda teve um problema no pé e como entendíamos que poderia passar a linha de quatro defensores, e vinha bola longa sobre Marques, então necessitávamos de dois contra um. Entendia que Rojas e Sara pelos lados dariam amplitude para encontrar jogo por fora - explicou o comandante.

Com a defesa mais segura, o ataque passou a funcionar com mobilidade e troca rápida de passes. Sara abriu o marcador e deu mais tranquilidade ao time, que ainda marcou com Luan Peres, contra, Pablo, de cobertura e um belo gol de Tchê Tchê de fora da área. O que chamou atenção também foi a vontade da equipe, que continuou pressionando até o final.

Vitória para dar moral ao time de Crespo, que fez nove gols e tomou somente um nas três primeiras rodadas do Campeonato Paulista. Resta saber se a equipe conseguirá manter essa boa fase na temporada. Tudo indica que sim.