SP confirma os três primeiros casos de Covid-19 com a variante do Amazonas

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - JANUARY 07: People wait to the subway train to stop at Estacao da Luz during the coronavirus (COVID-19) pandemic on January 7, 2021 in Sao Paulo, Brazil. Brazil has registered over 7.8 million confirmed cases of the virus since the pandemic began, while the official death toll from COVID-19 is nearing 200,000, the second highest in the world. (Photo by Miguel Schincariol/Getty Images)
Ainda não há estudos que comprovem a maior transmissibilidade da variante do Amazonas. (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)

O estado de São Paulo confirmou, nesta terça-feira (26), três casos de Covid-19 relacionados à nova variante do coronavírus Sars-CoV-2 oriunda do Amazonas, conhecida como P.1.

O Japão foi o primeiro a identificar a nova variante em viajantes que retornavam de uma passagem pelo Amazonas. A detecção foi notificada em 10 de janeiro.

As mutações (principalmente na região da proteína S, que se liga às células humanas para invadi-las) presentes na variante P.1 a tornam semelhante às variantes encontradas no Reino Unido e na África do Sul, o que levanta a possibilidade de um maior potencial de transmissão do vírus e um potencial aumento no número de mortes.

É importante destacar, porém, que ainda não há estudos que comprovem a maior transmissibilidade da variante P.1.

Leia também

Os casos no estado de São Paulo foram confirmados após o sequenciamento genético, feito pelo Instituto Adolfo Lutz, das amostras colhidas de pessoas diagnosticadas com Covid-19 e atendidas no serviço público de saúde do estado.

As três pessoas tinham histórico de viagem a Manaus ou eram moradoras da cidade, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

Na segunda-feira (25), os Estados Unidos também confirmaram a detecção da variante P.1 em solo americano, em um residente do estado de Minnesota com histórico de viagem recente ao Brasil.

O anúncio da primeira variante vinda do Brasil com registro nos EUA aconteceu poucas horas depois de o presidente Joe Biden ter revertido a liberação de Donald Trump e voltado a impor restrições de viagens a passageiros vindos de território brasileiro.

Outros países também têm aplicado restrições de entrada por receio do impacto das variantes recentemente descobertas na pandemia.

da Folhapress