Southgate deve fazer mudanças no meio-campo da Inglaterra


Diferentemente do que aconteceu no empate sem gols contra os Estados Unidos, na última sexta-feira (25), a Inglaterra não deve ter a sua escalação inicial repetida no duelo contra o País de Gales, nesta terça-feira (29), pela última rodada do grupo B da Copa do Mundo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

+ Copa do Mundo 2022: veja as seleções já classificadas às oitavas de final

Mason Mount tem grandes chances de perder a sua condição de titular após sair jogando nos dois primeiros compromissos da seleção inglesa no Mundial. Eric Dier e Jack Grealish podem conquistar a vaga.

Existe a chance do técnico Gareth Southgate modificar o esquema tático em relação aos jogos contra Irã e Estados Unidos, voltando à formação que usou durante a maior parte do ciclo pré-Copa, com três zagueiros. Assim, Dier entraria na vaga de Mount e comporia a parte central da defesa.

Porém, é mais provável que Grealish tenha a sua primeira chance entre os 11 iniciais neste Mundial. Depois de criticar o sistema defensivo inglês na estreia da Copa, contra a seleção iraniana, o treinador gostou do que viu no confronto seguinte, contra os americanos, quando o English Team não foi vazado.

Grealish - Inglaterra 6 x 2 Irã - Copa do Mundo 2022
Grealish - Inglaterra 6 x 2 Irã - Copa do Mundo 2022

Greaslish entrou durante os dois jogos da Inglaterra na Copa; contra o Irã marcou gol (Foto: EFE/EPA/Neil Hall)

A preocupação agora é a criação. E nisso Jack Grealish pode cumprir o papel que a Inglaterra precisa. No Manchester City, clube em que atua, ele não faz necessariamente a função de articulador, mas joga pelo lado esquerdo em um sistema com cinco meio-campistas onde ele tem uma característica maior de organização pelo seu setor do que atacar os espaços no um contra um.

+ Confira a tabela da Copa do Mundo e simule as partidas da competição

Há uma grande aclamação da torcida e crônica inglesa para que Southgate dê mais oportunidades para Phil Foden, companheiro de Grealish no City. Os dois, inclusive, costumam atuar pelo mesmo lado no clube e até se revezar em algumas ocasiões. Porém, a característica principal de Foden é mais de velocidade pelos lados do que composição central, que é o que o English Team necessita neste momento.

MADDISON PODE GANHAR ESPAÇO DURANTE O MUNDIAL

Após ser ausência nos dois primeiros compromissos da Inglaterra na Copa do Mundo, além de todos os treinamentos desde a chegada da delegação ao Qatar, o meia James Maddison participou da sua primeira atividade com o grupo neste sábado (27). Ele estava se recuperando de dores no joelho causadas por uma pancada sofrida em seu último jogo pelo Leicester antes de se juntar ao time da Inglaterra.

James Maddison - Inglaterra
James Maddison - Inglaterra

O máximo que Maddison jogou nesta Copa até agora foram os dardos (Foto: EFE/EPA/FRIEDEMANN VOGEL)

Camisa 10 clássico, Maddison tem o estilo que Gareth Southgate precisa para organizar o meio-campo inglês. Na última temporada, ele deu 12 assistências em 53 jogos, além de marcar 18 gols. Neste ano, já são sete tentos anotados e quatro passes diretos para companheiros irem às redes, em 14 jogos.

Porém, ainda não se tem ideia da condição física e ritmo de jogo que o atleta estará. Fora que o meia dos Foxes não era convocado para a sua seleção desde 2020, muito por conta de uma polêmica que se envolveu em outubro de 2019, ao ser flagrado em um cassino, em Praga, na República Tcheca, 24 horas depois de pedir liberação da delegação por conta de uma virose. No momento do flagra, a Inglaterra enfrentava a seleção tcheca pelas eliminatórias da Euro.