Sornoza vive relação de amor e ódio com a Copa do Brasil. Entenda!

Desde que chegou ao Fluminense, em janeiro, o meia Junior Sornoza é titular absoluto e uma das referências técnicas do elenco. Logo nos primeiros jogos, mostrou seu cartão de visitas com assistências para gol na Primeira Liga e no Carioca. Porém, só foi balançar as redes pela primeira vez na Copa do Brasil, onde viveu seus melhores e piores momentos com a camisa tricolor até agora. (Confira na galeria de fotos acima)

​Em sua estreia na competição, o time abriu 3 a 0 ainda no primeiro tempo contra o Globo-RN e o equatoriano teve a chance de marcar mas desperdiçou pênalti em Ceará-Mirim. Não fez falta, já que o Tricolor venceu por 5 a 2 e Scarpa marcou gol antológico do meio de campo.

Na segunda partida, desencantou. Fez o gol do empate contra o Sinop-MT, de falta, e fechou o placar em chute forte de fora da área. A atuação do equatoriano foi fundamental para virada por 3 a 1 no segundo tempo.

​Contra o Criciúma, deu passe perfeito para Richarlison, que driblou goleiro e deixou Wellington na boa para marcar: 1 a 1 fora de casa. Na partida de volta, no Giulite Coutinho, freou a reação do adversário em mais uma finalização com força de fora da área e garantiu a classificação para quarta fase da Copa do Brasil.

Nos duelos contra o Goiás, o camisa 20 foi discreto. Na primeira partida, as circunstâncias do jogo atrapalharam: Cavalieri foi expulso antes do intervalo e Abel sacou Sornoza aos 43 minutos para colocar Júlio César. Na coletiva, disse que o jogador estava errando muitos passes. No Maracanã, outro pênalti desperdiçado, dessa vez, defendido pelo goleiro. Na saída de campo, já com a classificação, o meia revelou nervosismo antes da cobrança.

O Tricolor agora enfrenta o Grêmio nas oitavas de final da Copa do Brasil. A primeira partida é em Porto Alegre e a decisão é em casa. Qual será a versão do equatoriano, fundamental no esquema de Abel, na próxima fase?









E MAIS: