Sonho, briga e mudanças: os bastidores do empate do Santos

O Santos deixou o gramado do Estádio Nacional do Peru para o intervalo perdendo por 1 a 0 para o Sporting Cristal e sem amostras de que poderia igualar o placar. Porém, os 15 minutos de descanso foram essenciais para o Peixe mudar sua postura.

Os primeiros minutos de intervalo foram tensos entre os santistas. Thiago Maia e Lucas Lima chegaram a discutir no vestiário, ante do técnico Dorival Júnior tomar a frente da conversa com o grupo. No entanto, o gol que recolocou o Alvinegro na partida foi justamente com uma assistência do camisa 10 e com a bela conclusão do volante.

- Abafei muito, discutimos no vestiário e acabei dando passe para ele. Pegamos confiança no jogo e a equipe subiu o nível - disse Lucas Lima ao Fox Sports, antes do complemento de Thiago Maia:

- Foi um momento de sangue quente, falamos besteiras, mas acho que isso fez ele dar o passe para mim (risos). Ele e o Renato são insubstituíveis - pontuou o camisa 29.

O jovem volante, que só tem três gols na carreira, ainda revelou que sonhou com o gol.

- Eu tinha sonhado com o gol. Fiz um gol para a minha namorada. Sonhei que fiz um gol por cima do goleiro - confessou.

Em campo, outro fator que fez a diferença além da injeção de ânimos foi o dedo do técnico Dorival Júnior. Vitor Bueno e Copete deram lugar a Vladimir Hernández e Bruno Henrique, respectivamente.

As alterações, anteriores ao gol de empate, ocorreram pois o Santos buscava velocidade pelos lados. Hernández, que estreou pelo Peixe na quinta-feira, participou da troca de passes na jogada do gol.

Bruno Henrique teve tudo para deixar o dele. O camisa 27 venceu a marcação de dois adversários, roubou uma bola, mas perdeu a passada ao se adiantar.

O Peixe volta a campo no domingo, contra o São Bernardo, fora de casa, pelo Paulistão. O técnico Dorival Júnior ainda não confirmou se vai mandar a campo o time titular no Estadual.

















E MAIS: