Sonhando com título mundial, Esquiva Falcão se prepara para encarar rival invicto: 'Vou buscar o nocaute'

·2 minuto de leitura


O pugilista Esquiva Falcão foi uma presença mais que especial no quinto episódio do programa Lance da Sorte KTO, divulgado nas redes sociais do L!. Em conversa com o apresentador Josias Pereira, Esquiva falou sobre sua carreira e os planos para o futuro, além do incessante sonho na conquista do título mundial do peso médio.

Esquiva está invicto, após 28 lutas em seu cartel profissional. O brasileiro, de 31 anos, tem 20 nocautes conquistados, inclusive com os cinco últimos combates tendo sido definidos pela via rápida. A próxima luta de Esquiva será contra o canadense Patrice Volny, também 31 anos, nos Estados Unidos. O adversário, tal como o brasileiro, também está invicto no boxe profissional, com 16 vitórias, sendo dez por nocaute.

Falcão quer somar mais um nocaute em seu currículo, até mesmo para não deixar nenhuma dúvida sobre o vencedor do embate. O pugilista lembra que a luta vai acontecer nos Estados Unidos e o adversário é do Canadá, país vizinho. Então, não quer dar nenhuma sopa para o azar.

- Hoje minha categoria é uma das mais difíceis que tem. Os mais duros do boxe estão no meu peso. Mas estou bastante focado. Minha luta agora é bem dura. Não gosto de ficar pensando no campeão, porque se eu não passar por essa agora, não vou chegar na final, disputar o cinturão. Então, falo que a próxima luta contra o Patrice Volny, um cara perigoso, que quer tirar minha invencibilidade e eu querendo tirar a dele. Vou vencer essa luta e depois é contra o Gennady Golovkin. Vou buscar o nocaute. Porque como vou estar nos Estados Unidos, contra um canadense, quero evitar deixar nas mãos dos juízes – avaliou Esquiva.

O brasileiro falou que está em vias de viajar para os Estados Unidos, onde vai finalizar a sua preparação para o próximo combate. Na semana anterior, Esquiva Falcão foi até São Paulo para conseguir o visto de entrada no país norte-americano.

- Vou aos Estados Unidos para finalizar o meu treinamento, dar os meus cem por cento – destacou.

Esquiva ainda brincou sobre a possibilidade voltar ao boxe olímpico, agora que a modalidade permite que pugilistas de até 40 anos compitam nos Jogos Olímpicos. Mas o boxeador afirmou que ganhar o cinturão dos médios é a sua principal obsessão no momento.

- Mudaram a idade dos atletas. Antes eram trinta anos (o limite de idade) e agora é de quarenta anos. Então eu posso ir para os Jogos Olímpicos. Mas meu foco agora é ser campeão do mundo. Depois de ser campeão, quem sabe? – brincou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos