Sobrinho de sultão, jogador “mais rico do mundo” está sem clube

Faiq Bolkiah passou pelas categorias de base do Chelsea. Foto: Darren Walsh/Chelsea FC via Getty Images
Faiq Bolkiah passou pelas categorias de base do Chelsea. Foto: Darren Walsh/Chelsea FC via Getty Images

Em épocas de vacas magras no mundo, perder o emprego é uma dor de cabeça que ninguém quer ter. Mas para esse não deve ser o caso de Faiq Bolkiah, considerado o jogador “mais rico do mundo”, que acaba de ser dispensado pelo Marítimo, de Portugal.

Faiq é sobrinho do sultão de Brunei, Hassanal Bolkiah e, aos 23 anos, é herdeiro de uma fortuna avaliada em £18 bilhões (cerca de R$ 115,83 bilhões). Segundo o tablóide britânico The Sun, como o dinheiro não é uma prioridade para o atleta, ele pode até atuar de graça por outro clube como próximo passo da carreira.

Leia também:

No Marítimo, Faiq Bolkiah não teve muito sucesso e nem chegou a defender a equipe principal do clube português. Contratado em setembro de 2020, ele jogou somente três vezes pelo time B e uma pela categoria Sub-23.

"O emblema verde-rubro agradece o empenho e a dedicação com que Faiq Bolkiah serviu o nosso clube, endereçando-lhe sinceros desejos de felicidade profissional e pessoal", publicou o clube, em nota, sem revelar o motivo da rescisão.

A linhagem de Faiq comanda Brunei, um pequeno país localizado no sudeste da Ásia, desde 1368, quando foi iniciado o reinado dos sultões. O tio dele, o sultão Bolkiah, tem histórias interessantes, como quando contratou Michael Jackson para cantar na festa de 50 anos dele. Ele também ostenta uma coleção de mais de 3 mil carros.

Nascido nos Estados Unidos, Faiq Bolkiah passou pelas categorias de base de clube ingleses como Southampton, Arsenal, Chelsea e Leicester. Segundo a imprensa britânica, o meia-atacante treinava com o tigre de estimação, chamado Bru, e não economizava nos gastos, chegando a pagar mais de £ 35 milhões em joias, carros e relógios. Pela Seleção do Brunei, o atleta jogou seis vezes e marcou um gol.