Sob a sombra da Copa América, Brasil visita o Paraguai pelas Eliminatórias

·4 minuto de leitura

Sob a sombra de uma crise aparentemente superada pela decisão de sediar a Copa América a partir do próximo domingo, a seleção brasileira visita o Paraguai em Assunção nesta terça-feira pela sexta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar-2022.

O Brasil mantém a liderança isolada com uma campanha 100% em que venceu todos os cinco jogos que disputou (15 pontos).

Com 7 pontos e quarto na classificação graças ao saldo de gols superior aos de Uruguai e Colômbia, a 'Albirroja' vai tentar aproveitar a turbulência que tem afetado a seleção brasileira nos últimos dias.

A tensão diminuiu nesta segunda-feira depois que os jogadores da Seleção decidiram se apresentar para jogar a Copa América que será disputada a partir de domingo no Brasil, segundo o site Globoesporte, após ameaçarem não participar devido à situação provocada pela covid-19 no Brasil, um dos países mais afetados pela pandemia.

Antes, haviam sido descartadas como sedes a Argentina, por conta da pandemia, e a Colômbia, devido a uma convulsão social que deixou cerca de 40 mortos no país.

Os jogadores reclamaram ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, por terem ficado sabendo pela mídia e expressaram oposição à realização do torneio no Brasil, segundo país com mais mortes pela pandemia (mais de 473.000), um número superado apenas pelos Estados Unidos.

"Vamos conversar (depois do jogo contra o Paraguai). Não queremos nos desviar do nosso objetivo, que para nós é a Copa do Mundo", disse o capitão Casemiro na sexta-feira, após a vitória por 2 a 0 sobre o Equador, em Porto Alegre.

Tite havia dito na quinta-feira que a posição do grupo sobre a ideia de disputar a Copa América no Brasil era "muito clara" e prometeu manifestar sua opinião após a partida contra os paraguaios.

O apoio do técnico a seus jogadores irritou Caboclo, que no domingo foi afastado do cargo por trinta dias após uma denúncia de uma funcionária da CBF por assédio sexual e moral.

Irritado com Tite, Caboclo teria considerado substituir o treinador, que tem o apoio do grupo.

Para o jogo contra o Paraguai, Tite poderá contar com Douglas Luiz (no lugar de Fred) que ficou de fora da partida contra o Equador por cumprir suspensão. Já Everton Ribeiro entraria no lugar de Lucas Paquetá. Também há uma dúvida no ataque, entre Roberto Firmino e Gabigol.

- Paraguai confiante -

Confiante em manter a invencibilidade de 36 anos sem perder para o Brasil jogando em casa, o time 'guarani' comandado pelo argentino Eduardo Berizzo receberá o adversário no estádio "Defensores del Chaco" a partir das 20h30 locais (21h30 pelo horário de Brasília).

Sua última derrota nas Eliminatórias da Copa do Mundo data de 16 de junho de 1985 (para o Mundial do México-86) na mesma fase, quando o Brasil venceu por 2 a 0 com gols de Casagrande e Zico.

No último duelo, nas Eliminatórias para a Copa da Rússia-2018, o resultado em Assunção foi 2 a 2, no dia 29 de março de 2016.

Os paraguaios têm procurado se isolar dos altos e baixos da polêmica para focar no jogo em que precisam urgentemente de pontos para seguir sonhando com uma vaga na Copa do Mundo, evento do qual não participam desde o Mundial da África do Sul de 2010.

Para o zagueiro Júnior Alonso, capitão do Atlético Mineiro e conhecedor do futebol brasileiro, o Paraguai está em condições de enfrentar a equipe de Tité em igualdade de condições e antecipou que a partida será "lá e cá".

"Eles vão sair e propor, E nós também", disse Alonso, que avaliou que "haverá muito espaço" pela frente.

O técnico Berizzo disse estar satisfeito com o desempenho de seus jogadores durante a visita ao Uruguai (0-0), em Montevidéu, na última quinta-feira, após dar a entender que seu time não passaria por grandes mudanças.

"Vamos enfrentar uma seleção poderosa que já venceu seus cinco jogos. Será muito estimulante disputar este jogo de terça-feira", observou.

O árbitro da partida será o argentino Patricio Loustau, auxiliado por seus compatriotas Ezequiel Brailovsky e Gabriel Chade,

Prováveis escalações:

Paraguai: Antony Silva - Robert Rojas, Gustavo Gómez, Fabián Balbuena, Omar Alderete - Richard Sánchez, Mathías Villasanti, Angel Lucena, Oscar Romero - Angel Romero e Miguel Almirón. Técnico: Eduardo Berizzo.

Brasil: Alisson - Danilo, Eder Militao, Marquinhos, Alex Sandro - Casemiro, Douglas Luiz, Everton Ribeiro, Richarlison - Neymar e Roberto Firmino (ou Gabigol). Técnico: Tite.

hro/ol/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos