Skank se apresenta pela última vez no Rio após 30 anos de carreira

‘Estamos muito felizes aqui em Ipanema!”, dizia um empolgado Samuel Rosa em um show nas areias cariocas, lá nos anos 1990.

— Falei várias vezes em Ipanema, até alguém me puxar e dizer que estávamos no Leblon — lembra, rindo o cantor do Skank, em uma das muitas histórias da banda mineira no Rio. — A banda foi muito buxixada no Rio bem no começo, quando ainda era independente, por jornalistas e DJs.

A última dança desse namoro está marcada para sábado, às 21h, na Jeunesse Arena (com ingressos a partir de R$ 75), quando a turnê de despedida do quarteto passa pelo Rio pela última vez.

— Os shows estão uma loucura, mal consigo ver os jogos da Copa — diz Samuel. — Temos público por todo o Brasil, mas lugares em que tocávamos uma noite, agora temos que tocar três. O último show, no Mineirão, dia 26 de março, já tem 30 mil ingressos vendidos.

Ele quer lançar um disco solo em 2023, mas ainda não sabe bem do que vai se tratar.

— Quero começar uma carreira individual, mas não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo — diz. — Construímos uma história digna, com começo meio e fim, ao longo de 30 anos.

Onde: Jeunesse Arena. Av. Embaixador Abelardo Bueno 3.401, Barra. Quando: Sábado, 21h. Quanto: A partir de R$ 75 (ticket360.com.br). Classificação: 18 anos.