Síndrome do Pânico: psiquiatra fala sobre problema que a cantora Dani Russo revelou sofrer

Yahoo Vida e Estilo
(Reprodução/Instagram/@danirussotv)
(Reprodução/Instagram/@danirussotv)

A cantora de funk Dani Russo causou espanto na Internet ao revelar em seu perfil no Instagram que vem sofrendo com crises de pânico cada vez mais fortes. Recentemente, ela fez um post falando sobre o tema e ainda gravou alguns vídeos para o seu stories, dizendo: “Quem me acompanha aqui sabe que já faz alguns meses que eu estou tendo algumas crises de pânico. Às vezes tenho medo de estar na rua, parece que tem alguém me perseguindo, que eu vou morrer”. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A cantora já tinha comentado em outras ocasiões sofrer com crises de ansiedade e de pânico e que, inclusive, já teve crises durante uma live online, e que foi acalmada por uma fã. Os problemas, entretanto, pioraram, como Dani relatou no Instagram: “Tive uma das crises mais fortes da minha vida, fiquei a ponto de tirar minha própria vida. Uma coisa tão forte que eu não tinha controle mais, mas eu não deixei me entregar, eu sei que eu tenho Deus no coração, e eu pedi para ele tirar isso de mim, pois eu não sou isso”.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Sintomas dos ataques de pânico

O problema é sério e a cantora deve o quanto antes procurar ajuda profissional médica para se tratar. Os ataques de pânico fruto da Síndrome do Pânico são períodos de medo intenso que podem ser acompanhados de palpitações, suores, tremores, falta de ar, náuseas, ondas de calor, entorpecimento ou a sensação de que algo terrível está para acontecer, além de se sentir fora da realidade.

“A Síndrome se caracteriza por sua ocorrência repentina, súbita e inesperada, sendo que de certa forma é também inexplicável, mas que apresentam algum gatilho que desencadeia as crises de ansiedades. Elas são marcadas por muito medo e desespero associados a sintomas físicos e emocionais muito intensos, durante cerca de 10 minutos e podem atingir pessoas de qualquer idade”, explica a médica Lívia de Lima Basseres, psiquiatra pela Faculdade de Medicina do ABC, mestre em Psiquiatria pela USP e membro da equipe do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP (IPQ-USP).

Leia também

Causas dos ataques de pânico

Os ataques costumam ter uma curta duração, mas são muito intensos, levando a pessoa ter a nítida impressão que vai morrer (como aconteceu com a cantora Dani Russo). O transtorno do pânico é uma manifestação extrema dessa tensão, mas não tem uma única causa relatada, segundo Basseres. “As causas ainda estão sendo estudadas, mas acredita-se em uma combinação de fatores genéticos, ambientais, vivências e especialmente um estresse acentuado”, afirma. A psiquiatra reforça a necessidade de acompanhamento médico para que a pessoa tenha o diagnóstico correto e não confunda a doença com outros problemas que podem ter sintomas semelhantes.

Psicoterapia e medicamentos antidepressivos

O tratamento, segundo a médica Lívia de Lima Basseres para a Síndrome do Pânico inclui basicamente medicamentos antidepressivos adequados para cada pessoa. “Além dos medicamentos, é preciso fazer um tratamento paralelo de psicoterapia, principalmente da linha cognitivo-comportamental para obter o melhor resultado”, afirma a psiquiatra. 

Leia também