Simone Biles não vai competir nas barras e no salto, especialidade de Rebeca

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***RIO DE JANEIRO: Ginasta norte-americana Simone Biles. (Foto: Diego Padgurschi/Folhapress)
***ARQUIVO***RIO DE JANEIRO: Ginasta norte-americana Simone Biles. (Foto: Diego Padgurschi/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Atual maior estrela da ginástica artística mundial, Simone Biles não vai competir nas finais do salto e das barras assimétricas nas Olimpíadas de Tóquio, ambas marcadas para domingo (1º), conforme anúncio da Federação de Ginástica dos Estados Unidos nesta sexta-feira (30, horário de Brasília).

Em nota, a entidade afirmou que a atleta "continuará a ser avaliada diariamente para determinar se poderá competir nas finais para exercícios de solo e trave de equilíbrio."

A ginasta, de 21 anos, que chegou ao Japão com expectativa de conquistar até cinco medalhas de ouro, já havia desistido da competição por equipes e da final geral por questões de saúde mental.

"Continuamos maravilhados com Simone, que continua a lidar com essa situação com coragem e graça, e com todos os atletas que se destacaram durante essas circunstâncias inesperadas", acrescenta a nota da federação americana.

MyKayla Skinner, americana que teve a quarta maior pontuação no classificatório, vai competir na final do salto ao lado de Jade Carey.

A prova de salto é uma das especialidades da brasileira Rebeca Andrade, que já conquistou a medalha de prata na prova individual geral na última quinta-feira (29).

Na fase de classificação do salto, a atleta avançou com a terceira maior nota, 15.100, atrás somente de Biles (15,183) e Jade Carey (15,166).

Biles chegou aos Jogos com a expectativa de levar várias medalhas de ouro para os EUA --e a pressão que isso acompanha.

Depois de erros e uma nota insatisfatória para os padrões da atleta, a ginasta decidiu não continuar na disputa. Ela disse que precisa "lutar contra a própria mente para ter autoconfiança" e que cuidaria de sua saúde mental.

Em vídeo postado em sua conta no Instagram, a ginasta explicou na quinta-feira (29) que sentiu-se perdida espacialmente durante seu salto na final por equipes. Ela contou que era como se tivesse um descompasso entre o corpo e a mente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos