Simone Biles desiste de outras duas finais na Olimpíada de Tóquio

·2 minuto de leitura
Simone Biles abriu mão de disputar as finais do salto e das barras assimétricas.
Simone Biles abriu mão de disputar as finais do salto e das barras assimétricas. (Foto: Sergei Bobylev\TASS via Getty Images)

A ginasta Simone Biles, dos Estados Unidos, não irá disputar outras duas finais da ginástica nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Em um anúncio feito na noite desta sexta-feira (30), a Confederação de Ginástica dos EUA comunicou que Simone Biles abriu mão de competir nas finais do salto e nas barras assimétricas. A participação da ginasta nas disputas de trave e solo ainda está sendo estudada.

Leia também:

A superestrela já havia desistido da final por equipes e não disputou o individual geral alegando problemas para administrar a pressão.

Biles será substituída pela ginasta MyKayla Skinner juntamente com Jade Carey.

As finais do salto e das barras assimétricas estão marcadas para domingo (1º). A final do solo será na segunda-feira (2), enquanto a da trave está agendada para terça-feira (3).

Confira a íntegra do comunicado:

"Hoje, após deliberação com a equipe médica, Simone Biles decidiu não participar das finais do salto sobre a mesa e das barras assimétricas. Ela continuará sendo avaliada diariamente para decidir se competirá nas finais do solo e na trave. MyKayla Skinner, que teve a quarta maior marca no salto sobre a mesa na qualificação, competirá pelos Estados Unidos junto com Jade Carey, que teve a segunda melhor marca.

Nós seguimos admirando Simone, que continua a lidar com essa situação com coragem, e todos os atletas que responderam ao chamado em meio a essas circunstâncias inesperadas."

Dificuldade de "administrar a pressão"

Nesta sexta, Simone Biles afirmou que tem dificuldades "literalmente em cada aparelho", o que aumenta as dúvidas sobre seu retorno. Biles destacou "os demônios" em sua cabeça para explicar a desistência de duas provas, que pode ser ampliada às finais por aparelhos que começam no domingo.

Além das dificuldades psicológicas, Biles citou o que as ginastas chamam de "twisties", uma perda da consciência total do espaço, situação que às vezes se agrava com o estresse e que pode colocar as atletas em perigo.

Em um vídeo publicado no Instagram durante o treino de sexta-feira é possível observar a americana aterrissando de costas na área acolchoada ao final de seus movimentos. Ela escreveu que estava com problemas em "literalmente em todos os aparelhos, o que é muito ruim".

"Isso não estava acontecendo antes de deixar os Estados Unidos. Começou a acontecer de maneira aleatória após a classificação, na manhã seguinte", postou Biles.

"Eu realmente não consigo compreender como fazer o movimento. Sentimento mais estranho e esquisito. É algo que honestamente petrifica tentar fazer um movimento, mas não ter sua mente e corpo em sincronia", acrescentou.

Para os que dizem que desisti, eu não desisti. Não desisti, minha mente e corpo simplesmente não estão em sincronia, como vocês podem ver aqui", disse, em referência ao vídeo.

"Não acredito que vocês compreendam como é perigoso em superfícies duras/competitivas, nem tenho que explicar porque coloco a saúde em primeiro lugar. A saúde física e a saúde mental", concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos