Simeone diz estar “mais tranquilo do que nunca” após derrota para o Real Madrid e reclama de CR7

Goal.com

Após a derrota por 3 a 0 para o Real Madrid, na ida das semifinais da Champions League, os jogadores do Atlético de Madrid não esconderam a decepção com o resultado. No entanto, os colchoneros se recusam a abaixar a cabeça e desistir.

O meio-campista Koke, por exemplo, lembrou que o Atleti já goleou o Real por 4 a 0 dentro de seu estádio, mesmo com CR7 do outro lado. A partida foi válida pelo Campeonato Espanhol de 2014-15, e se for repetida na próxima quarta-feira (10), será o milagre que os colchoneros precisam.

Karim Benzema Real Madrid Atletico Madrid Champions League
Karim Benzema Real Madrid Atletico Madrid Champions League

O Real Madrid foi amplamente superior (Foto: Getty Images)

“Peço desculpas aos nossos torcedores”, disse o meio-campista. “Nós não deixamos de acreditar, e vamos seguir lutando (...) No primeiro tempo fomos muito imprecisos, no segundo eles se fecharam bem e saíram bem nos contra-ataques”.

“É pior perder duas finais do que uma semifinal, mas nunca deixamos de lutar. Nós sempre nos levantamos”, avaliou, antes de relembrar que mesmo com CR7 em campo o Atleti já goleou o Real Madrid dentro do Vicente Calderón.

“No futebol nunca se sabe. No Calderón, com Cristiano [em campo, pelo Real], ganhamos por 4 a 0”, lembrou.

Simeone reclama da arbitragem no 1º gol de CR7, mas reconhece superioridade do rival

Diego Simeone Atletico Madrid Leicester City UCL 12042017
Diego Simeone Atletico Madrid Leicester City UCL 12042017

(Foto: Getty Images)

“Primeiro tempo equilibrado. Poderíamos ter finalizado naquele lance do Gameiro”, disse, em alusão à melhor chance de sua equipe nos primeiros 45 minutos. “No segundo [tempo] eles foram superiores, ganharam a primeira parte da eliminatória. Ainda falta a segunda”.

O argentino também aproveitou para reclamar do lance do primeiro gol, anotado por Cristiano Ronaldo: “Eles sabem atacar muito bem quando têm espaço, e fizeram isso muito bem. Se estávamos dentro ou fora, o arbitro ia apitar o que quisesse. Isso não é uma indireta, é direta”.

“As dificuldades existem, muitas pessoas vão achar que é impossível e eu não acho que seja impossível. Temos o jogo de volta e as opções (...) Agora é esquecer deste encontro. É muito difícil, complicadíssimo, mas é o futebol e existem coisas inesperadas. Vamos jogar até a última gota de chance”.

“Não estou chateado, nem decepcionado. Estou mais tranquilo do que nunca. Vou preparar bem para o jogo de sábado [pelo Campeonato Espanhol] e tentar algo impossível, mas como somos o Atlético podemos ser capazes”.

Leia também