Simeone analisa: "Messi, Cristiano e Maradona não funcionariam juntos"

Goal.com

A discussão sobre quem é o melhor jogador da história do futebol nunca tem fim. A escolha dos argentinos, em sua maioria, fica entre os dois maiores ídolos do país: Diego Maradona e Leo Messi. E um grande ex-jogador argentino foi perguntado sobre isso: Diego Simeone.

O treinador do Atlético de Madrid deu entrevista para a AFA, Associação de Futebol da Argentina. Ele analisou os principais atributos dos dois craques. "Eles são diferentes. Um é uma máquina de fazer gols. Tenho sofrido diariamente nos últimos anos [contra Messi]".

"O outro [Maradona] foi o futebol argentino personificado. Hoje me parece que Messi, mais maduro, começa a se exteriorizar mais, ao Diego nunca lhe custou nada. Eles podiam era jogar juntos", afirmou Simeone.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Perguntado sobre a formação de um possível trio superpoderoso com os dois argentinos e Cristiano Ronaldo, o treinador do Atlético de Madrid não vê como algo funcional. "Adicionar Cristiano seria mais complicado. Teríamos buracos".

"Sempre digo que se um [jogador] não corre, tudo bem. Se dois jogadores não correm, dificulta. Se três não correrem, é impossível", analisou o treinador.

Messi e Cristiano Ronaldo têm polarizado a disputa entre prêmios individuais nos últimos anos, com seis Bolas de Ouro para o camisa 10 do Barcelona e cinco para o português. Muitos afirmam que este sucesso individual já começa a ofuscar até mesmo a Copa do Mundo.

Em 2020, diante da pandemia de Covid-19 e a consequente paralisação do futebol em todo o mundo, a Fifa pode cancelar o The Best, premiação da entidade para os melhores do ano.

Leia também