Silvânia Costa brilha e conquista o bicampeonato paralímpico no salto em distância T11

·1 minuto de leitura


O Brasil começou com tudo no atletismo dos Jogos Paralímpicos de Tóquio. No primeiro dia de competições da modalidade, a delegação brasileira já somou duas medalhas de ouro. Após a vitória de Yeltsin Jacques nos 5.000m masculino, foi a vez de Silvânia Costa subir ao lugar mais alto do pódio no salto em distância, classe T11, para cegos.

+ Brasil leva bronze no revezamento 4x50m misto, e Daniel Dias alcança a 27ª medalha em Jogos Paralímpicos

Campeã da modalidade na Rio 2016, a brasileira repetiu o feito em Tóquio, com marca de cinco metros cravados. Silvânia começou queimando os dois saltos primeiros queimando as tentativas, e nos dois seguintes, atingiu marca que não dariam nem a medalha de bronze à atleta. No quinto e penúltimo salto, se recuperou e garantiu o ouro.

+ Jovane Guissone conquista a medalha de prata nos Jogos Paralímpicos

- Mesmo antes do final da prova eu já estava comemorando o quinto salto. Nosso trabalho foi realizado com sucesso. Não foi uma prova fácil. Eu entrei e tive que ir pra cima, com muita garra ali no último salto. Eu sabia quanto eu tinha batalhado, lutado, tudo que passei para chegar aqui. Os últimos cinco meses foram muito doloridos. Eu ralei muito para chegar até aqui. Essa medalha vem com sabor de muita garra e superação - disse Silvânia.

Lorena Spoladore, outra brasileira da prova, acabou na quarta colocação, com marca de 4m77, menos de dez centímetros a menos que a medalhista de bronze Yuliia Pavlenko, da Ucrânia. A prata foi conquistada por Asila Mirzayorova, do Uzbequistão, com 4m91. Na Rio 2016, Lorena havia conquistado a medalha de bronze.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos