Sidão revela ter jogado no limite para assumir antigo posto de Ceni

Sidão teve seu início no São Paulo atrapalhado por uma lombalgia, que o limitava de fazer movimentos completos. Em fase de recuperação da lesão, o goleiro aproveita a folga no calendário do Tricolor para readquirir a boa forma e afirmou, nesta segunda-feira, estar apto a atuar, sem sentir as velhas dores.

“Eu acabei arrastando esta dor em alguns jogos, treinamentos, e ela estava me limitando de fazer certos movimentos. Então a gente resolveu tratar para que eu pudesse voltar zerado, sem dor. Hoje estou sem dor nenhuma, treinando bastante, praticamente fazendo minha pré-temporada”, assegurou o arqueiro em entrevista à ESPN.

Em seguida, ele contou o porquê acabou arrastando as dores e revelou certa “pressão” em ter de substituir Rogério Ceni no gol são-paulino.

“O fator de eu arrastar esta dor foi justamente isso [pressão por substituir o Rogério Ceni], de eu querer me firmar, provar que tinha condições de vestir a camisa do São Paulo e ser titular. Mas as dores estavam limitando meus movimentos e isso acabou prejudicando meu desempenho”, explicou.

Agora na função de técnico, Ceni procura manter certo distanciamento do treino específico de goleiros e prefere tratar os atletas da mesma maneira que os demais, como disse Sidão. Inclusive, ele detalhou o trabalho feito pelo ídolo Tricolor.

“Ele está com uma preocupação maior com o time. Ele tem dado ênfase mais na questão coletiva, do time. Então ele não tem opinado tanto nos nossos treinamentos, mas na parte tática ele opina bastante, para a gente jogar bem adiantado, para que a linha de zaga jogue mais à frente e a gente atue como líbero”, completou.