Sidão entende titularidade de Renan: “Foi o que se saiu melhor”

Titular nos últimos cinco jogos do São Paulo, o goleiro Renan Ribeiro merece o posto, de acordo com Sidão. O experiente arqueiro veio para ser o dono da posição após uma temporada positiva no Botafogo, mas acumulou falhas em alguns jogos pelo Tricolor e em seguida parou para se tratar de uma lombalgia. Nesse período, viu o companheiro ganhar oportunidades e a confiança do técnico Rogério Ceni.

A última partida de Sidão foi em 5 de março, na goleada por 4 a 1 sobre o Santo André, pelo Campeonato Paulista. Desde então, Denis também foi testado, alternando boas e más atuações, como na derrota por 3 a 0 para o Palmeiras, no Palestra Itália, onde foi encoberto por Dudu, além de ter falhado no terceiro gol alviverde.

Se contabilizadas as partidas da Copa Flórida, contra River Plate e Corinthians, em janeiro, os três goleiros somam nove partidas cada. No entanto, apenas Renan Ribeiro caiu nas graças da torcida, muito em função de ter sido o único a levar segurança à meta são-paulina.

Desde que Ceni começou a promover um rodízio entre os goleiros, Renan “foi o que se saiu melhor. Ele merece estar jogando hoje e espero que ele consiga ajudar o São Paulo da melhor maneira”, analisou Sidão, em entrevista à Espn Brasil, nesta segunda-feira.

Já recuperado da lombalgia, Sidão treina normalmente há algumas semanas e estará à disposição de Rogério Ceni no próximo compromisso do São Paulo, o duelo de volta contra o Defensa y Justicia-ARG, em 11 de maio, no Morumbi, pela primeira fase da Copa Sul-Americana – o jogo de ida, em Lanús, terminou empatado por 0 a 0.

Após ser eliminado no Paulistão pelo Corinthians, no último domingo, o Tricolor ganhou dois dias de folga e só retornará aos trabalhos nesta quarta-feira, portanto. A estreia no Campeonato Brasileiro está marcada para 14 de maio, contra o Cruzeiro, no Mineirão.

Rodrigo Caio

Sobre o fair play de Rodrigo Caio na derrota por 2 a 0 para o Corinthians, no último dia 16, pelas semifinais do Campeonato Paulista, Sidão desconversou sobre o clima do vestiário após a partida e minimizou a polêmica provocada pela atitude do companheiro.

“Eu não estava no vestiário e não sei o que aconteceu. É um assunto que nem deveríamos ter dado tanta ênfase. Vivemos numa sociedade tão corrupta de caráter que um ato simples gerou tanta polêmica. Acho que se talvez não tivesse flagrado o juiz agradecendo, não teria acontecido nada. É reflexo da nossa sociedade, esse negócio do jeitinho brasileiro de ser malandrão para tudo”, refletiu o arqueiro de 34 anos.