'Shogun' reconhece meta dos rivais em usá-lo como escada

Maurício Shogun enfrentará Gian Villante no UFC Fortaleza - Tobias Bunnenberg

Maurício ‘Shogun’ é uma das estrelas brasileiras que estará em ação no UFC Fortaleza, agendado para o próximo sábado (11) na capital do Ceará. Ex-campeão do Pride e do Ultimate, o meio-pesado (93 kg) medirá forças contra Gian Villante na luta co-principal do evento e admitiu que precisará ser cauteloso já que o americano, assim como os adversários que enfrentou recentemente, tentará se aproveitar de sua popularidade e usá-lo como escada rumo ao topo da divisão.

O brasileiro é o atual sexto colocado no ranking da categoria e está seis posições acima de Villante na tabela. O que, de acordo com o atleta, estimula ainda mais seu rival a tentar derrotá-lo – já que uma vitória certamente o faria subir alguns degraus em direção a uma possível disputa de título.

“Percebo [que os adversários veem em mim uma possibilidade de crescer], acho que os caras veem uma oportunidade, até porque sabem que eu tenho um nome na história do MMA e também estou bem ranqueado. Então com certeza os caras pensam que é uma boa oportunidade, e eu também o vejo [adversário] como uma oportunidade de disputar o cinturão”, relatou em conversa com jornalistas durante o ‘media day’ do UFC Fortaleza nesta quinta-feira.

O brasileiro acumula duas vitórias seguidas no Ultimate, sequência só realizada no seu começo na organização, quando venceu Mark Coleman e Chuck Liddell em 2009. Por isso, um resultado positivo contra Villante representaria um feito inédito do atleta na companhia. Mas Shogun fez questão de espantar qualquer pressão e indicou que se cobra apenas para dar o seu melhor – o que não necessariamente representa um resultado positivo ao final do combate.

“A minha ansiedade é para dar o meu melhor. Ele é um cara que vai querer me vencer e sabe a importância de me vencer. Até porque se eu colocar essa carga para mim acho que isso pode pesar contra, então prefiro não colocar. Prefiro botar na cabeça que minha obrigação é dar o meu melhor”, afirmou o curitibano.

Uma das razões que podem explicar o tom comedido do brasileiro é a sua lesão no joelho, que o impossibilitou de atuar com tanta frequência nos últimos anos. Mas Shogun garantiu que as contusões ficaram no passado e que sua preparação para o próximo duelo foi um sucesso, já que conseguiu se aperfeiçoar em todas as áreas do MMA.

“Na verdade, voltar hoje [após tanto tempo] foi opção minha. Estava com um problema no joelho, uma tendinite. Era para ter lutado em setembro, mas não consegui. Pedi para estender essa luta. O UFC queria que eu lutasse antes mas não consegui. Estava com o problema no joelho, mas me recuperei graças a Deus e consegui fazer um bom camp. […] Fiz o camp todo em São Paulo, então treinei bastante muay-thai, jiu-jitsu e wrestling. Estou pronto para onde a luta acabar, onde a luta acabar estarei pronto”, completou confiante.

Maurício Shogun já é um veterano no esporte, e aos 35 anos não desistiu de reconquistar o cinturão que foi seu entre os anos de 2010 e 2011. Ele acumula 24 vitórias e dez derrotas em seu cartel desde que estreou no esporte, em 2002.

Confira abaixo o vídeo da encara entre Shogun e Villante:

Leia também