Atlético-PR vacila no fim e estreia no grupo 4 da Libertadores com empate

Curitiba, 7 mar (EFE).- A festa dos quase 25 mil torcedores na Arena da Baixada estava armada para comemorar uma vitória na estreia na fase de grupos da Taça Libertadores, e o Atlético-PR ia correspondendo com dois gols de vantagem, mas deu bobeira nos minutos finais e acabou empatando com a Universidad Católica em 2 a 2 nesta quarta-feira em Curitiba.

O Furacão fez 1 a 0 logo no começo da partida, com Lucho González, e ampliou já no segundo tempo, em linda finalização de Nikão. Acostumado a sofrer na fase preliminar, em que despachou o Millonarios nos pênaltis e o Deportivo Capiatá fora de casa, a equipe mandante parecia suficientemente calejada, mas cochilou e sofreu dois gols a partir dos 40 minutos, marcados por Llanos e Noir.

Dessa forma, o campeão brasileiro de 2001 já começa a campanha no grupo 4 com o sinal de alerta ligado, já que começou com tropeço uma campanha em uma chave difícil.

Os dois próximos jogos da equipe do técnico Paulo Autuori pelo torneio continental serão fora de casa. Na quarta-feira da próxima semana, o adversário será o San Lorenzo, que ficou com a taça em 2014, em Buenos Aires. Em seguida, no dia 12 de abril, o compromisso será diante do Flamengo, provavelmente no Maracanã.

O Atlético manteve a base das fases preliminares. O único desfalque foi o atacante Grafite, que cumpriu suspensão pelo acúmulo de cartões amarelos e deu lugar a Pablo.

Na Católica, há muitos nomes conhecidos, a começar pelo técnico, o ex-atacante Marcelo Salas. O time de Santiago contou ainda com atletas experientes, como os meias Buonanotte, ex-River Plate, e Fuenzalida, da seleção chilena, o atacante Santiago 'El Tanque' Silva, que já defendeu Corinthians e Boca Juniors e foi contratado junto ao Banfield, também da Argentina.

Com apenas quatro minutos de bola rolando, como um verdadeiro furacão, o time da casa abriu o placar. Thiago Heleno descolou bom lançamento para Jonathan, que cruzou rasteiro. Bem colocado, Pablo completou e fez 1 a 0.

O gol marcado cedo deu tranquilidade ao Atlético, que pôde tocar a bola com mais calma em busca de novas oportunidades. Aos 12 minutos, Jonathan mandou para a área novamente, desta vez com mais força, à procura de Nikão, mas o meia não chegou a tempo de concluir.

O campeão brasileiro de 2001 jogava soltou, e Felipe Gedoz mostrou isso aos 18. O meia deu um lindo drible perto da linha divisória e arriscou de longe, mas carimbou a defesa. Pouco depois, aos 22, o próprio Gedoz tirou da marcação e bateu para boa defesa de Toselli. Nikão ficou com o rebote, mas bateu sem força e facilitou o trabalho da defesa.

A Católica pouco incomodava Weverton, e o goleiro da seleção era praticamente um espectador de luxo. Aos 32 minutos, em escanteio para o time paranaense, Thiago Heleno cabeceou para o chão, a bola quicou, subiu e encobriu a meta. Um minuto depois, os visitantes enfim atacaram, em enfiada de Fuenzalida para a pequena área, mas Jonathan se antecipou e cortou.

Aos 40, o Furacão teve grande oportunidade no contra-ataque, puxado por Carlos Alberto. O meia serviu Nikão, que procurou Pablo, mas errou feio na execução.

Na virada de lado, o time chileno voltou do vestiário com tudo e levou perigo duas vezes em cinco minutos. Na primeira, aos dois, Fuenzalida arriscou Weverton deu rebote e teve de se desdobrar para ficar com a bola, que havia sobrado para 'El Tanque'. Em seguida, Noir lançou, Kalinski emendou de primeira e tirou tinta do travessão.

A alternativa do Atlético era contra-atacar, mas as falhas individuais comprometiam. Aos 11 minutos, Nikão limpou a defesa e teve espaço, mas demorou a escolher entre o chute e o passe e foi desarmado.

Dono do jogo nesse momento, a Católica trocou passes como quis no campo de ataque até o levantamento na cabeça de 'El Tanque', que obrigou Weverton a fazer mais uma grande intervenção, aos 18. Dois minutos depois, em confusão na área, Thiago Heleno precisou tirar de bicicleta.

A situação parecia ficar cada vez pior para os donos da casa com Carlos Alberto lesionado. O meia, um dos mais experientes do time, virou o pé e teve de dar lugar a Douglas Coutinho.

No entanto, o Atlético saiu do sufoco - ao menos momentaneamente - com um golaço, aos 30 minutos. Matheus Rossetto, que substituíra Lucho, tocou de calcanhar para Nikão, que soltou uma bomba de fora da área e acertou o ângulo, aumentando a vantagem.

A Católica não se entregava, e Weverton salvou de novo aos 35. Kalinski aproveitou o levantamento e cabeceou firme. O arqueiro salvou, e Lanaro ainda ia insistindo no rebote, mas Paulo André interveio e afastou.

De tanto "martelarem", os visitantes diminuíram aos 40. Em mais uma troca de passes envolvente e pouco combatida pela defesa atleticana, Gutiérrez tocou de calcanhar, Fuenzalida alçou na área e Llanos marcou de cabeça.

Atônito após sofrer o primeiro gol, o Atlético não teve reação e acabou levando o empate logo na sequência, aos 42 minutos. Depois da cobrança de falta pelo lado, Noir escorou de cabeça e deixou tudo igual.

O árbitro chegou a interromper a comemoração com a intenção de marcar impedimento, mas logo depois se corrigiu e validou o gol. Por ter provocado a torcida ao marcar, Maripán foi expulso, deixando a Católica com um homem a menos nos instantes finais.

O Furacão enfim despertou para a partida e esteve muito próximo de desempatar em duas ocasiões, mas talvez tenha reagido tarde demais. Aos 46 minutos, sem goleiro, mas também sem ângulo, Nikão chutou para fora. Um minuto depois, mesmo com Toselli batido novamente, Pablo acertou a trave, e o jogo terminou mesmo empatado.


Ficha técnica:.

Atlético-PR: Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio (Wanderson) e Lucho González (Matheus Rossetto); Nikão, Carlos Alberto (Douglas Coutinho) e Felipe Gedoz; Pablo. Técnico: Paulo Autuori.

Universidad Católica: Toselli; Espinoza (Llanos), Lanaro, Maripán e Parot; Fuentes (Cordero) e Kalinski, Noir, Buonanotte e Fuenzalida; Santiago Silva (Gutiérrez). Técnico: Mario Salas.

Árbitro: Ulises Mereles (Paraguai), auxiliado pelos compatriotas Rodney Aquino e Darío Gaona.

Cartões amarelos: Thiago Heleno (Atlético-PR); Kalinski, Maripán e Fuenzalida (Universidad Católica).

Cartão vermelho: Maripán (Universidad Católica).

Gols: Lucho González e Nikão (Atlético-PR); Llanos e Noir (Universidad Católica).

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba. EFE