Shakthar não teve brasileiros na Champions pela 1ª vez no século

Por causa da invasão militar promovida pela Rússia contra a Ucrânia, o Shakthar não teve brasileiros em campo.
Por causa da invasão militar promovida pela Rússia contra a Ucrânia, o Shakthar não teve brasileiros em campo. Foto: (David S. Bustamante/Soccrates/Getty Images)

A partida entre Real Madrid e Shakthar Donetsk, na última quarta-feira, marcou um importante fato para o clube ucraniano: pela primeira vez neste século, o time laranja e preto não contou com um atleta nascido no Brasil em uma partida da Liga dos Campeões da Europa.

Foi em novembro de 2000 o último jogo que o Shakthar havia entrado em campo pela competição continental sem um jogador brasileiro. No episódio, o clube ucraniano venceu o Arsenal, que contava com os craques Ljungberg, Henry e Ashley Cole, por 3 a 0. Desde esta partida, há 22 anos, o Shakthar disputou 16 edições da UEFA Champions League, tendo entrado em campo em 103 oportunidades, mas em todas elas tinha, ao menos, um atleta brasileiro no elenco que atuou.

Leia também:

Darijo Srna, ex-jogador de futebol e atualmente diretor do clube ucraniano, criticou as ações da FIFA em relação aos clubes da Ucrânia que sofreram com as suspensões de contrato de jogadores: "A Fifa nos destruiu. Não nos protegeu em nenhum momento. Se fosse o Real Madrid, o Sevilla, o Barcelona ou o Bayern nesta situação, tenho certeza de que ajudariam rapidamente. Gostaria que alguém da Fifa viesse à Ucrânia, convivesse conosco e outros times para sentir como é viver com sirenes e bombas. Tínhamos 14 estrangeiros com valor de mercado entre 150 e 200 milhões de euros, e foi permitido que eles saíssem sem congelar os contratos".

Lucas Taylor é o único brasileiro que faz parte do elenco do Shakthar. O lateral foi titular do time nas duas primeiras rodadas da Champions, mas não entrou em campo contra o Real Madrid.