Shakespeare nega estar por trás de demissão de Claudio Ranieri

Claudio Ranieri, no dia 18 de fevereiro de 2017

O técnico do Leicester, Craig Shakespeare, negou estar relacionado com a demissão do antecessor italiano Claudio Ranieri, em coletiva de imprensa nesta terça-feira, depois das acusações do antigo treinador sobre alguma pessoa do clube ter motivado a decisão de seu afastamento.

"Conversei com Claudio na noite que foi despedido e ele agradeceu minha disponibilidade. Disse que o futebol era assim. Essa é minha versão dos fatos", explicou o treinador, que fez questão de acrescentar que nunca discutiu com Ranieri.

Shakespeare era o auxiliar do italiano e desde que assumiu a equipe, em fevereiro, os Foxes voltaram a vencer partidas e já não correm perigo de rebaixamento na Premier League.

Ranieri foi eleito o melhor treinador do ano de 2016, depois de levar a zebra Leicester ao título do Campeonato Inglês. Após o comunicado da demissão, José Mourinho, Gary Lineker, Luciano Spalletti, Roberto Mancini, entre outros do mundo do futebol expressaram publicamente a discordância com a decisão do clube.

Em sua primeira entrevista após a demissão, o italiano revelou que sua saída do comando dos Foxes não foi motivada pelos jogadores, mas "por alguém do clube".

O Leicester enfrenta o Atlético de Madrid, nesta quarta-feira, pelas quartas de final da Liga dos Campeões.

"Acho que a vida nos proporciona novas experiências. Isso é o que acontece com a Liga dos Campeões. Estamos aqui para lutar. Nossos jogadores merecem uma oportunidade e é o que queremos mostrar amanhã. É a noite que sempre sonha em viver" falou Shakespeare sobre o duelo contra os espanhóis.