Sete novos casos de Covid-19 no Celtics, Lakers, 76ers e Nuggets

AFP
Marcus Smart em um jogo dos Celtics em fevereiro deste ano
Marcus Smart em um jogo dos Celtics em fevereiro deste ano

Sete membros das equipes da NBA Boston Celtics, Los Angeles Lakers, Philadelphia 76ers e Denver Nuggets, incluindo o armador Marcus Smart e pelo menos dois outros jogadores, testaram positivo para o novo coronavírus, informaram as franquias nesta quinta-feira.

Esses casos se somam aos sete jogadores de equipes da NBA infectados que foram relatados nos dias anteriores. O primeiro deles foi o pivô francês Rudy Gobert, cujo caso desencadeou a suspensão indefinida da temporada regular da NBA em 11 de março e os exames subsequentes de pelo menos oito equipes completas da liga.

Nesta quinta-feira, o Boston Celtics anunciou que um de seus jogadores testou positivo para o Covid-19.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"O jogador do Celtics, que não apresenta sintomas, está isolado há vários dias e continuará a fazê-lo enquanto estiver sendo monitorado pela equipe médica", disse a franquia.

A equipe não forneceu a identidade do jogador, mas mais tarde seu armador, Marcus Smart, enviou um vídeo para sua conta no Twitter, explicando que ele havia acabado de ser notificado de que havia testado positivo.

"Estou bem, estou bem. Não sinto nenhum dos sintomas (...) fiz o teste há cinco dias e os resultados chegaram ontem à noite, que foram positivos. Estou em quarentena desde então, graças a Deus", disse Smart, de 26 anos.

"A equipe está aguardando mais resultados dos testes e os comunicará conforme apropriado", afirmou o Celtics. O Lakers também informou que dois de seus jogadores deram positivo para o COVID-19. "Atualmente, os dois jogadores estão livres de sintomas, estão em quarentena e estão sob os cuidados dos médicos das equipes", afirmou o Lakers em comunicado em que não oferece suas identidades.

"A equipe está aguardando mais resultados dos testes e os comunicará conforme apropriado", afirmou o Celtics.

O Lakers também informaram que dois de seus jogadores testaram positivo para o Covid-19. "Atualmente, os dois jogadores estão livres de sintomas, estão em quarentena e sob os cuidados dos médicos da equipe", afirmou o Lakers em um comunicado em que não informa suas identidades.

Todos os jogadores e membros da equipe foram convidados a permanecerem em quarentena em suas casas, disse a franquia.

Mais cedo, o Philadelphia 76ers e o Denver Nuggets emitiram declarações separadas para dizer que quatro membros de suas organizações também testaram positivo nesse exame, sem detalhar se há jogadores entre eles.

O 76ers realizaram exames médicos em um grupo de jogadores, treinadores e membros de sua equipe de operações de basquete, testes que foram feitos sob recomendação médica e de forma privada.

"Três indivíduos receberam resultados positivos do teste de Covid-19. Todos os outros testes são atualmente negativos", informou a equipe da Filadélfia.

"Essas pessoas estão isoladas e serão monitoradas de perto por profissionais médicos", acrescentou o 76ers, que também não detalhou o estado de saúde desses membros de sua equipe.

Horas antes, o Denver Nuggets havia anunciado que "um membro da organização" também apresentou resultados positivos para o Covid-19.

"A pessoa que foi submetida ao teste após sentir sintomas consistentes com o Covid-19 na terça-feira, 16 de março, está atualmente sob os cuidados da equipe médica e em isolamento", afirmou a franquia.

Os outros sete casos de jogadores da NBA conhecidos nos últimos dias foram Gobert e seu parceiro no Utah Jazz Donovan Mitchell, Christian Wood do Detroit Pistons e quatro jogadores do Brooklyn Nets dos quais só foi identificado seu grande astro Kevin Durant.

O comissário da NBA, Adam Silver, detalhou na quarta-feira que apenas dois desses sete jogadores infectados apresentaram sintomas da doença, enquanto o restante permaneceu assintomático.

Os Estados Unidos superaram a barreira de 10.000 casos de infecções do novo coronavírus nesta quinta-feira e somam mais de 150 mortes, segundo uma contagem da Universidade Johns Hopkins usada como referência nacional.

Leia também