Serra admite preocupação com largada na final em Interlagos: “Na frente é mais seguro”

JULIANA TESSER, PEDRO HENRIQUE MARUM, FELIPE NORONHA

Se engana quem pensa que a conquista do terceiro título na Stock Car na última corrida da temporada 2019 foi um passeio no parque para Daniel Serra. O #29 admitiu que ficou preocupado por largar no meio do bolo.

Em Interlagos, Serra ficou com a sétima colocação no grid, 0s159 mais lento que Marcos Gomes, o dono da pole. Mas, apesar de um início de corrida tumultuado, Daniel passou ileso e recebeu a bandeirada em segundo, atrás de Thiago Camilo, o primeiro na lista de rivais pelo título.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Daniel Serra (Foto: Cauê Moalli/Grande Prêmio)


Paddockast #46

OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM






Com o tri garantido, Serra admitiu que ficou preocupado com o momento da largada, também por entender que a vantagem de 29 pontos não era tão grande assim.

“Eu tinha uma vantagem de 29 pontos para o Thiago, mas a gente chega na última etapa do ano, que é ponto dobrado. Se fosse uma etapa normal, eu precisaria chegar em 17º, acho, para ser campeão com ele vencendo, mas aqui, tinha que ser quinto, então passa a ser uma vantagem pequena, digamos assim”, disse Serra. “É lógico que é melhor ter a vantagem. E como a gente teve esse formato diferente de classificação, que tinha o combustível, o combustível que você estava, era difícil saber quem estava classificando cheio de combustível ou quem estava classificando com pouco. A gente tinha uma ideia de alguns que tinham classificado com menos combustível”, seguiu. 

“O grande problema disso é que eu acabei largando em uma posição onde as confusões acontecem mais”, reconheceu. “Na frente é mais seguro, digamos assim do que onde eu estava. Então isso que me deixou só um pouco preocupado em relação a corrida”, reconheceu. 

Apesar do temor inicial, Daniel confiou em ter um bom carro e fez o suficiente para alcançar o tri. 

“Eu sabia que a gente teria um bom carro, que a gente teria a chance de brigar pelas posições nos boxes, mas me deixou preocupado a largada, que foi realmente bem confusa”, comentou. “Acho que a largada foi bem cedo, na verdade, eu consegui dar um pulo bom, passei o carro da minha frente, que era o [Denis] Navarro, comecei a passar o Felipe [Fraga], até pelo meio da pista, e ele começou a voltar um pouquinho, o [Júlio] Campos vinha, e eu tive que tirar o pé, porque a gente bateu e um dos dois ia rodar, porque um não sabia que tinha um outro do meu lado”, relatou. 

“Mas, enfim, deu certo, consegui ganhar acho que uma posição na largada, saí em sexto, mas esse foi o momento, acho que do final de semana, para mim mais tenso”, considerou. “Era a largada, porque você está no meio de gente que não está disputando o campeonato, que quer fazer de tudo nessa última corrida, então não sabia exatamente... Por mais que você pense em mil cenários, eu não pensei nesse”, finalizou.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.






Leia também