Serie A ou B? - Internacional segue sem saber onde jogará após audiência do CAS

O Campeonato Brasileiro, da Serie A, inicia em 14 de maio. A segunda divisão, um dia antes. O Internacional tem jogo marcado com o Londrina, no Estádio do Café, fora de casa. Porém, a intenção do Colorado ainda é tentar voltar à elite do futebol brasileiro. Na Corte Arbitral do Esporte (CAS), em Laussane, na Suíça, nesta terça-feira (4), o clube gaúcho acompanhou o julgamento do caso Victor Ramos.

O Inter foi rebaixado no ano passado. Mas entrou com recurso junto a CBF e ao STJD sobre a forma irregular com que o defensor do Vitória foi inscrito. Se punido, o time baiano poderia ser punido com a perda de pontos e, assim, ficar no lugar da equipe gaúcha.

Victor Ramos Vitória treino 2016
(Foto: Internacional/Divulgação)

VEJA TAMBÉM:
Messi se aproxima de renovação | Cartoon do Dia | 'Neymar é o número 2 do Mundo'

No Brasil, o caso foi arquivado, mas no exato dia de seu aniversário de 108 anos, o Inter viu a a audiência (que deveria ter sido definitiva) ser suspensa na Europa. O encontro durou algumas horas. O resultado não foi p esperado, mas o Inter garante não ter saído "frustrado". Os responsáveis do CAS avaliarão a competência do Tribunal em julgar o caso. A decisão deve sair até quinta-feira (6).

Gustavo Juchem, vice-presidente jurídico do Inter, explicou, em entrevista à Zero Hora : "Se a Corte avaliar que deve julgar o caso, uma nova audiência pode ser marcada na semana que vem".

"O resultado do Tribunal era um dos esperados e vai ao encontro do que vínhamos dizendo sobre a complexidade e dificuldade que o clube tem nessa matéria. O Inter está exercendo o seu direito e, agora, vamos aguardar a decisão da Corte para os próximos dias, no que diz respeito ao entendimento do CAS sobre o Caso Victor Ramos", afirmou o presidente do clube, Marcelo Medeiros.

HD Internacional fans
(Foto: Internacional/Divulgação)

Ainda segundo Juchem, os advogados europeus contratados pelo Inter seguirão no local para eventualmente representar o clube de forma presencial. Juchem e o advogado Rogério Pastl voltam ao Brasil. É possível que eles participem de uma eventual nova audiência por teleconferência.

"Saímos daqui com uma sensação boa, com a consciência tranquila e a sensação de dever cumprido por estaremos fazendo o que é correto, buscando o nosso direito. E pelo fato de sabermos que haverá uma decisão técnica, isenta, e não política. Confiamos no julgamento do Tribunal", concluiu Juchem.

Sem motivos ainda para comemorar, o torcedor do Inter vê o clube completar mais um ano de existência, mas não sabe se acompanhará o time na Série A ou na B durante a atual temporada. Segue indefinida a questão entre o Colorado, o Vitória e a CBF.