Sequência de eventos testa arenas, protocolos e torcida para Tóquio-2020

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma competição de rúgbi em cadeira de rodas, nos próximos dias 3 e 4 (sábado e domingo), no Ginásio Nacional Yoyogi, em Tóquio, deverá marcar o recomeço da sequência de eventos-teste para a Olimpíada deste ano. Estão previstos 18 deles antes do início do megaevento, que tem cerimônia de abertura agendada para o dia 23 de julho. Segundo o site especializado na cobertura olímpica Inside the Games, ainda em abril devem acontecer torneios de polo aquático, saltos ornamentais, rúgbi, natação e ciclismo; em maio, vôlei, nado artístico, atletismo, skate, basquete 3x3 e tiro esportivo. A maioria dos eventos será realizada pelo Comitê Organizador dos Jogos, com exceção dos de nado artístico, polo aquático, saltos ornamentais e a maratona, conduzidos pelas respectivas federações internacionais. Segundo um dos diretores dos Jogos, Hidemasa Nakamura, é possível que esses quatro eventos tenham atletas de outros lugares do mundo e a presença (ainda que limitada) de público local. A competição preparatória da maratona está marcada para o dia 5 de maio, em Sapporo (mesmo local que a receberá nos Jogos). Será a única das 18 realizada fora de Tóquio. No dia 9 de maio acontecerá o evento-teste do atletismo, único sob responsabilidade do comitê organizador que poderá ter público, segundo Nakamura. "Durante os eventos de atletismo vamos colher informações para tomar [futuras] decisões", disse. Todos esses eventos serão fundamentais para colocar à prova não só as instalações esportivas, mas principalmente os protocolos sanitários que a serem adotados na Olimpíada. As primeiras versões dos guias de regras e orientações para delegações e imprensa foram divulgadas em fevereiro, mas devem ter atualizações. Os organizadores tentarão minimizar contato físico, criar espaços de distanciamento social, recomendar que se evite aglomerações, instruir os envolvidos a torcer batendo palmas (e não gritos), usar máscara nos locais fechados e lavar as mãos. No último dia 20, foi feito o primeiro grande anúncio concreto sobre proibições, no caso da presença de torcedores de fora do Japão. A venda de ingressos é a terceira maior receita da Olimpíada, atrás dos direitos de televisão e patrocinadores. O veto foi estendido a voluntários estrangeiros, mas cerca de 500 ainda poderão ser liberados.