Sentimentos contraditórios sobre adiamento nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Por Harumi OZAWA
AFP
A contagem regressiva para as Olimpíadas foi reiniciada
A contagem regressiva para as Olimpíadas foi reiniciada

Tristes, porém resignados. Os japoneses reagiram com sentimentos contraditórios diante do anúncio sobre o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, anunciado nesta terça-feira (24) pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), por causa da pandemia do novo coronavírus.

O entusiasmo vinha crescendo nos últimos anos à medida que se aproximava a data do mais importante evento esportivo do mundo, os primeiros Jogos de Verão no país desde 1964.

No entanto, os japoneses entendem o motivo maior para se tomar uma decisão tão radical, com a Covid-19 se aproximando de 20.000 mortos em todo o mundo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No país do Sol Nascente não foram impostas as medidas de confinamento que em todo o mundo mantêm 1,7 bilhão de pessoas em casa.

Quando o anúncio do adiamento foi publicado, na terça-feira à noite no Japão, o cruzamento de Shibuya, no centro de Tóquio, famoso por ser o mais movimentado do mundo, estava cheio de jovens que saíam de alguma festa.

Entre eles, Momoko Doku, que trabalha com informática, entende os argumentos sanitários: "É decepcionante, claro, mas compreendo se pensarmos na saúde dos atletas. O novo coronavírus se espalhou tão rapidamente pelo mundo. É um sério problema internacional".

A menos de quatro meses da data prevista para a cerimônia de abertura, no dia 24 de julho, os preparativos estavam quase finalizados na capital japonesa, com mascotes olímpicos e pôsteres por toda a cidade.

- Dúvidas nos últimos dias -

Os cidadãos de Tóquio, uma das mais populosas megalópoles do mundo, demonstraram grande entusiasmo com os Jogos, como se pode perceber pela compra de ingressos.

Porém, as pesquisas divulgadas na última semana mostraram que cada vez mais japoneses tinham dúvidas sobre ser ou não prudente manter o evento esportivo por causa do avanço do novo coronavírus, que contaminou mais de 300.000 pessoas em todo o planeta, levando um terço da população mundial ao confinamento.

Para Shunsuke Kitamoto, que pratica boxe em sua universidade, a decepção é enorme porque tinha planos de integrar o grupo de milhares de voluntários que ajudariam a guiar o público do mundo inteiro pela cidade.

"Tinha realmente muita vontade de assistir as competições e de participar desse evento como voluntária. Por isso é decepcionante", ressaltou em declarações à AFP.

Há um esforço para se ver o lado positivo. Os Jogos foram adiados, não cancelados, como alguns temiam.

Sachie Tojo recebeu a notícia "com grande surpresa".

"É decepcionante, como morador de Tóquio tinha muita vontade de participar", acrescentou.

Porém, reconhece igualmente que a saúde dos atletas é o mais importante.

"Quero que os Jogos aconteçam em um ambiente saudável para os atletas", disse.

Toru Matsubara faz parte dos milhões de habitantes de Tóquio que não tinham conseguido comprar os ingressos para os Jogos, mas estava esperançoso sobre "encontrar alguma forma de ver alguma competição".

"Para ser sincero, queria ir porque meus filhos estavam animados", ressalta.

Leia também