'Sensação' da Copa, Marrocos rende uma curiosa relação com Portugal. Entenda!

Marrocos surpreendeu ao vencer a Espanha nos pênaltis nas oitavas (Foto: JAVIER SORIANO / AFP)


Uma das grandes surpresas da Copa do Mundo de 2022, Marrocos tem um vínculo bem curioso com Portugal. O primeiro país árabe a estar nas quartas de final do Mundial está na língua portuguesa de uma forma bastante significativa. A palavra Marrocos faz parte de um palíndromo.

O destino dos marroquinos com a língua portuguesa se cruza na seguinte frase: "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos". A sentença é lida da mesma forma de frente para trás ou de trás para frente.

Professora titular de Língua Portuguesa da Uerj, Maria Teresa Tedesco, detalhou como as línguas dão margem para estas expressões.

- O palíndromo é uma especificidade da língua. Significa um "caminho percorrido de novo". "Palin" (em grego) quer dizer "de novo" e "dromos" significa "percurso, circuito". Diz respeito a uma questão de simetria linguística e não discursiva. Linguística é porque está lidando com as palavras. Nem sempre essas frases que têm uma simetria possuem um verdadeiro sentido. Este, de fato, é um palíndromo lido nos dois sentidos e traz a palavra Marrocos, que é um país - afirmou ao LANCE!.


A professora apontou o que chama atenção nesta frase.

- Em língua portuguesa, a gente tem palíndromos, mas não há sempre um contexto. As frases simétricas, às vezes, ficam sem sentido - e ressaltou o que "ajudou" os marroquinos a "driblarem" atalhos e aparecerem em um palíndromo em português:

- Temos palíndromos na língua portuguesa, mas não com tanta frequência. É mais fácil a gente ter palíndromos na língua inglesa, por exemplo. Em português, as palavras são terminadas majoritariamente em vogais ou com as consoantes "L", "M", "R" e "S". Isto dificulta um pouco a construção de um palíndromo - completou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.


Maria Teresa Tedesco também explicou o motivo da frase ter um sentido linguístico, mas não discursivo na frase "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos".

- Discursiva implica num contexto. Estamos fazendo uma combinação de palavras para que possam ser lidas tanto de trás para frente quanto de frente para trás. Não importa exatamente o sentido. Essa frase não faz sentido, é uma brincadeira! Há uma simetria linguística para que a frase possa ser lida nos dois sentidos. Não há preocupação com a semântica. Tantas vezes você tem um sentido, outras vezes nem tantos, pois estão descontextualizadas - afirmou a professora titular de Língua Portuguesa da Uerj.

Marrocos vai a campo neste sábado (10), no Estádio Al Thumama, contra Portugal, disposto a fazer ainda mais história no Mundial de 2022.