'Sempre vai ter pressão para que o Brasil jogue bem', diz Gabriel Jesus

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Gabriel Jesus em ação pela seleção brasileira em amistoso com o Japão em 2017 (AFP/DENIS CHARLET)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O Brasil sempre estará sob pressão para jogar bem, mesmo estando prestes a se classificar mais cedo para a Copa do Mundo de 2022, disse o atacante Gabriel Jesus nesta terça-feira.

“Seleção brasileira sempre foi assim. Tantos craques e lendas passaram por aqui e deixaram seus legados. Sempre vai existir pressão da seleção jogar bem e ganhar, conquistar títulos.”, afirmou o atacante do Manchester City durante a coletiva de imprensa em Bogotá (Colômbia).

O Brasil está concentrado na capital colombiana para os jogos das próximas três rodadas pelas Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial do Catar, nas quais enfrentará a Venezuela nesta quinta-feira em Caracas, a Colômbia em Barranquilla no domingo e o Uruguai em Manaus na próxima quinta-feira (14).

Apesar de liderar com 100% de aproveitamento, com 24 pontos em oito jogos, e prestes garantir matematicamente a classificação direta para a Copa do Mundo (para isso, precisa somar mais seis pontos), a seleção brasileira, comandada pelo técnico Tite, é questionada pela falta de brilho e pela derrota para a Argentina na final da Copa América 2021, no Maracanã.

“Você sendo um jogador da seleção, será cobrado de jogar o melhor possível. É uma cobrança justa e faz com que a gente aceite o desafio. Não vejo como algo diferente disso. Desafio de melhorar, estar procurando a evolução”, disse o atacante, de 24 anos.

“Não é fácil dirigir uma equipe como a do Brasil. As demandas sempre existirão e são compreensíveis, porque o Brasil é a maior seleção do mundo”, acrescentou.

Gabriel Jesus está de volta à Seleção depois de perder - junto com outros oito companheiros - os últimos três jogos da equipe em setembro passado devido à proibição dos clubes ingleses de viajarem para a América do Sul, pois na volta deveriam cumprir vários dias de isolamento como medida de combate à covid.

"Foi um baque, sim, não poder estar com a Seleção, mais fico muito feliz agora que se conseguiu acertar tudo”, afirmou.

O atacante espera que Casemiro possa se juntar o grupo, depois que o volante do Real Madrid não deixou a Espanha devido a um "problema pessoal", conforme informou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) nesta terça-feira.

“Se trata de um jogador indiscutível, pela qualidade e a liderança que tem na equipe”, afirmou.

“Espero [que o problema] não seja grave, que ele se recupere para fazer o que mais gosta, que é jogar futebol”.

Com exceção de Casemiro, todos os atletas já estão em Bogotá para os treinos para os jogos contra Venezuela, Colômbia e Uruguai. Entre eles, Neymar não vai enfrentar os venezuelanos por cumprir suspensão automática.

raa/app/gfe/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos