Sempre ele: agora sem jejum, Cano é esperança do Vasco contra o Palmeiras

Felippe Rocha e Luiz Felipe Melo
·1 minuto de leitura


Thiago Galhardo, pelo Ceará, em 2019; Diego Souza, pelo Sport, em 2017; e Maxi López, pelo próprio Vasco, em 2018. São exemplos de como é importante ter um jogador como garantia de gols quando se luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. No caso do time cruz-maltino deste ano, a referência é Germán Cano. Autor de dois gols contra o Atlético-MG, na última rodada, ele também é esperança nesta terça-feira, contra o Palmeiras.

- O Cano é um grande finalizador. A bola tem que chegar nele que ele vai guardar - resumiu o técnico Vanderlei Luxemburgo, após a partida mais recente, na qual o jogador pôs fim a um jejum de seis jogos sem fazer gol.

Já são 13 gols do centroavante, que está na briga pela artilharia da competição - Thiago Galhardo, Marinho e Claudinho têm 16. No ano, o argentino tem 23 gols em 44 partidas. A importância dele para o Vasco se resume na quantidade de gols marcados pelo time de São Januário na temporada: 49. Cano é responsável por quase metade.

-> Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

O destaque em campo e até o alcance midiático de Germán Cano são tão grandes que até o perfil do Campeonato Brasileiro explora a imagem do atacante. Nesta segunda-feira, inclusive.

Para o Vasco, a manutenção da primeira divisão vai passar pelos gols do artilheiro.