Semifinais femininas do Superpraia são definidas

Vitor Felipe/George e Maria Elisa/Carol Solberg venceram seus confrontos no qualificatório e garantiram vagas da fase de grupos da etapa holandesa

Especial. Este é o adjetivo perfeito para classificar o Superpraia. A quarta edição, que acontece em Niterói (RJ), teve as semifinais do torneio feminino definidas nesta sexta-feira. Três das quatro duplas mais bem ranqueadas no Circuito avançaram para a fase decisiva. Larissa/Talita (PA/AL), Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) e Ágatha/Duda (PR/SE) entraram em quadra apenas uma vez, pelas quartas de final, e conseguiram manter a invencibilidade na competição. A dupla Maria Elisa e Carol Horta (PE/CE) completam a lista das semifinalistas.

As semifinais estão marcadas para a manhã deste sábado, a partir das 10h40, com transmissão ao vivo online. Ágatha/Duda (PR/SE) enfrenta Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), e na sequência é a vez de Larissa/Talita (PA/AL) entrar em quadra contra Maria Elisa/Carol Horta (PE/CE).

Formada no início de janeiro deste ano, a parceria entre Maria Elisa e Carol Horta (PE/CE) ainda carecia de bons resultados para indicar que as duas seguiam no rumo certo. E o bom desempenho na etapa de Xiamen (CHN) do Circuito Mundial, quando chegaram na quarta posição no último domingo (23.04), foi o divisor de águas. No Superpraia, elas alcançaram a primeira semifinal juntas em um evento nacional. Nesta sexta-feira a dupla venceu Val/Ângela (RJ/DF) na repescagem (2x0 - 21/19 e 21/19), e passou por Taiana/Elize Maia (2x0 - 21/17 e 21/15), e conseguiu a classificação inédita. Emocionada, Maria Elisa confessou que já cogitava encerrar a carreira, mas que a escolha da nova parceira foi um combustível especial para continuar a jogar.

- A palavra é superação. A minha escolha de continuar jogando valeu a pena. A escolha de ter a Carol como parceira valeu a pena. Jogar com quem você admira é muito bom, e ver o potencial dela é muito bom. Em Vitória, ficamos em último, e, em seguida, fomos para a China e conseguimos chegar à semifinal, fomos sem equipe, só nós duas e jogamos do jeito que esperávamos quando formamos o time. Aqui em Niterói apresentamos este mesmo voleibol que nos levou longe na China. Mantivemos uma regularidade que me deixou feliz. Quando você joga com uma jogadora mais nova é isso que tem que passar e buscar, essa regularidade. Estou feliz com tudo que está acontecendo, por saber que ainda estou jogando em alto nível. E vencer um time como esse, do jeito que vencemos, me motiva a jogar por mais dez anos - contou Maria.

Outra dupla que faz a segunda semifinal seguida é a formada por duas jovens atletas. Ana Patrícia e Rebecca foram vice-campeãs da etapa Open de Vitória (ES), nona e última parada do Circuito Brasileiro. Para conseguirem passar das quartas de final elas precisaram enfrentar as adversárias Juliana e Carol Solberg (CE/RJ), e os percalços de um evento ao ar livre. Com falta de luz natural na quadra dois, a partida foi suspensa na metade do segundo set, e recomeçou na quadra central. No entanto, isso não atrapalhou a mineira e a cearense que venceram por 2x0 (21/15 e 21/17).

- Viemos de algumas etapas ficando em quinto, mas isso faz parte do início de um trabalho. Tínhamos que passar por isso. Em Vitória conseguimos sentir o gostinho de passar para a semifinal, e isso nos motivou. Chegamos aqui com vontade de chegar novamente à semifinal, buscar o pódio. Tivemos que superar algumas adversidades nas quartas de final, mas não nos afetou e conseguimos a vitória. Temos que superar isso e seguir em frente - comemorou Rebecca.









E MAIS: