Sem fazer muito esforço, Inglaterra estreia na Copa do Mundo goleando o Irã

Coletivo da Inglaterra brilhou na goleada aplicada sobre o Irã (Foto: Fadel Senna / AFP)


A Inglaterra não tomou conhecimento e fez aquilo que se espera de um grande time quando enfrenta uma equipe menor: goleou. No estádio Internacional Khalifa, os ingleses venceram o Irã por 6 a 2, pela primeira rodada do grupo B da Copa do Mundo.


+ Veja todos os desfalques da seleção da França por lesão nesta Copa

Destaque para Saka, que marcou duas vezes. Bellingham, Sterling, Rashford e Grealish também deixaram as suas marcas. Artilheiro da última edição do Mundial, em 2018, Harry Kane passou em branco, mas foi o responsável pelas assistências para o terceiro e quinto gol inglês.

Do lado iraniano, os dois gols foram marcados por Taremi, mas nenhum deles foi o suficiente nem para 'apimentar' a partida, já que um foi anotado quando o jogo estava 4 a 0 para a Inglaterra, e o segundo, já nos acréscimos, somente fechou o 6 a 2.

+ Confira a tabela da Copa do Mundo e simule os jogos da competição

'GOD SAVE THE KING' E PROTESTO IRANIANO

Quando a Rainha Elizabeth II assumiu o trono real inglês, a Inglaterra havia disputado somente uma Copa do Mundo, em 1950, com o monarca Jorge XI, pai de Elizabeth, à frente da nação. Desde então, todos os mundiais tiveram o hino cantado com a frase ‘Deus, salve a Rainha’. Com o falecimento de Elizabeth, em setembro deste ano, o hino inglês foi cantado com o refrão ‘Deus, salve o Rei’ pela primeira vez desde.

Logo depois, foi a vez do hino iraniano ser tocado. Porém, os próprios torcedores do país vaiaram bastante a canção, com alguns registros de choros emocionados, principalmente de mulheres, nas arquibancadas do estádio Internacional Khalifa.

O Irã vive um momento político conturbado. País mulçumano, as ações violentas da polícia de costumes, principalmente contra mulheres, tem sido questionada. Em setembro, a jovem Masha Alli, de apenas 22 anos, foi morta por estar usando o véu de forma errada.

Antes da bola rolar, a partida teve outra manifestação. Já posicionados para o início do jogo, os atletas da Inglaterra se ajoelharam com os punhos fechados, em ação de conscientização e combate ao racismo. O elenco chegou a tomar a atitude durante muitos jogos durante o ciclo da Copa, mas nos últimos compromissos havia deixado de fazer.

Por outro lado, a adesão ao movimento ‘OneLove’, amor livre em português, acabou sendo recuada pelos ingleses, já que a Fifa ameaçou punir desportivamente os capitães que entrassem em campo com a braçadeira com o desenho do arco-íris dentro do coração, símbolo da campanha.

GOPEIRO CONTUNDIDO E INGLATERRA PASSANDO O CARRO

A Inglaterra ficou longe de passar sufoco para vencer o Irã, na estreia das duas equipes na Copa do Mundo. Ainda que a equipe inglesa tenha saído na frente somente aos 34 minutos, a partida sempre foi um ataque contra defesa.

Logo no início do jogo, os iranianos tiveram um problema, quando o goleiro Beiranvand se chocou contra o volante Hosseini e não conseguiu prosseguir. O confronto, inclusive, ficou paralisado por quase 15 minutos, para atendimento ao arqueiro do Irã.

Quando a bola voltou a rolar, a Inglaterra seguiu tendo mais posse de bola, mas não tinha muita criatividade. O primeiro bom momento foi com Mason Mount, que recebeu na entrada da pequena área, após ótima troca de passes dos ingleses pelo lado direito. O meia do Chelsea finalizou na rede pelo lado de fora.

O questionado zagueiro Maguire, que já havia ganho pelo alto, mas sem levar perigo, em outras oportunidades no jogo, foi outro que quase abrir o placar para a Inglaterra, quando aos 31 minutos subiu mais alto que todo mundo, após cobrança de escanteio de Trippier, pela direita, e acertou a trave adversária.

Depois disso, a porteira abriu para os ingleses. Primeiro, aos 34 minutos, com boa descida pela esquerda e cruzamento do lateral Luke Shaw na cabeça do volante Jude Bellingham, que escorou encobrindo o goleiro. Depois, aos 42 minutos, foi a vez de Saka deixar a sua marca, enchendo o pé esquerdo, após receber a bola escorada por Maguire. Por fim, aos 45 minutos, foi a vez de Raheem Sterling aproveitar a descida inglesa pela direita, com o centroavante Harry Kane recebendo aberto e fazendo o papel de garçom e cruzando por baixo.

NO SEGUNDO TEMPO, INGLATERRA DIMINUI O RITMO, AUMENTA VANTAGEM, MAS É VAZADA

Vencendo por 3 a 0, bastava a Inglaterra administrar o resultado no segundo tempo. Com isso, foi notório que a seleção diminuiu o ritmo na etapa final. Mas a superioridade técnica era tanta, que deu para os ingleses aumentarem a vantagem.

Aos 16 minutos, Saka deixou a sua marca novamente, ao receber de Sterling, que passou pela marcação com facilidade e deixou para o atacante também driblar facilmente a zaga rival e colocar no fundo da rede.

No entanto, três minutos depois o Irã descontou com Taremi, que recebeu ótimo passe de Gholizadeh, passou pelas costas de Maguire e encheu o pé.

Mas o sonho iraniano de encostar no placar não durou muito, já que aos 25 minutos, Marcus Rashford, que havia saído do banco de reservas minutos antes, em seu primeiro toque na bola, passou com facilidade pela marcação e tocou na saída do goleiro.

E deu tempo dos ingleses ainda deixarem a sua marca final, quando aos 43 minutos Callum Wilson, que havia entrado no lugar do Kane, recebeu passe em profundidade, tocou para o meio da área e viu Jack Grealish livre para tocar na saída do goleiro.

No último minuto de jogo, o Irã quase marcou o segundo, mas Pickford fez uma defesa fantástica, tocando com a ponta dos dedos a finalização do atacante Azmoun, considerado o 'Messi Iraniano'. O atleta dos persas saiu na cara de goleiro inglês, finalizou e a bola ainda pegou no travessão, antes de se perder a linha de fundo.

Na cobrança de escanteio, o zagueiro Stones puxou a camisa de Pouraliganji, o árbitro Raphael Claus foi chamado para o vídeo e anotou a penalidade, que foi convertida por Taremi no último lance do jogo.

INGLATERRA 6 x 2 IRÃ
COPA DO MUNDO - FASE DE GRUPOS - 1ª RODADA


Local: Estádio Internacional Khalifa, Doha (QAT)
Data e hora: 21 de novembro de 2022, às 10h (horário de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (BRA)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (BRA) e Danilo Ricardo Simon Manis (BRA)
Árbitro de vídeo: Leodan González (URU)
Cartões amarelos: Jahanbakhsk e Pouraliganji (Irã)
Cartões vermelhos:

GOLS: 1-0 Jude Bellingham (34'/1T); 2-0 Bukayo Saka (42'/1T); 3-0 Raheem Sterling (45'/2T); 4-0 Bukayo Saka (16'/2T); 4-1 Teremi (19'/2T); 5-1 Marcus Rashford (26'/2T); 6-1 Jack Grealish; 6-2 Taremi (57'/2T).

INGLATERRA
Pikford; Trippier, Maguire (Dier, 24'/2T), Stones e Shaw; Rice, Bellingham e Mount (Foden, 24'/2T); Saka (Rashford, 24'/2T), Kane (Wilson, 30'/2T) e Sterling (Greelish, 24'/2T). Técnico: Gareth Southgate

IRÃ
Beiranvand (Hosseini, 19'/1T); Moharrami, Cheshmi (Kanani, intervalo), Hosseini e Mohammadi; HajSafi, Noorollahi (Azmoun, 32'/2T) e Karimi (Ezatolahi, intervalo); Jahanbakhsh (Gholizadeh, intervalo), Taremi e Pouraliganji. Técnico: Carlos Queiroz