Sem Diego, Zé Ricardo tem raro período sem jogos para testar opções no Fla

LEO BURLÁ

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - O técnico Zé Ricardo deve estar respirando aliviado. Após a vitória ante o Atlético-PR, pela Copa Libertadores, o rubro-negro vai ter ao menos nove dias de trabalho até que o time volte a campo. Fora da final da Taça Rio, o Flamengo vai ganhar um raro momento de descanso e joga só no próximo fim de semana, quando encara o Botafogo pela semifinal do Campeonato Carioca.

Sem Diego, a pausa chega em boa hora na Gávea. Com mais tempo de treinos e com o ambiente leve após o triunfo na competição continental, Zé Ricardo pode testar com mais calma as alternativas para a vaga de seu principal jogador. Se não quiser mexer muito no desenho da equipe, Matheus Sávio e Lucas Paquetá pintam como alternativas. Mancuello também surge como opção.

Desde que começou a temporada, este é o maior período sem jogos que o Rubro-negro vai ter. Até então, o intervalo livre mais extenso havia sido entre os duelos contra Vasco e Fluminense, na reta final da Taça Guanabara. Naquela oportunidade, foram oito dias entre um confronto e outro.

O meia Diego já foi submetido a uma artroscopia para correção de lesões no ligamento colateral medial e no menisco medial do joelho direito. Segundo o médico Marcio Tannure, chefe do departamento médico do Flamengo, a intervenção realizada na manhã de sábado (15) foi um sucesso.

"Correu tudo bem. Ele foi operado por uma equipe médica que contou com, além de mim, o Dr. Rodrigo Furtado e o Dr. Gustavo Caldeira. A previsão é de alta neste sábado. Acreditamos que entre quatro e seis semanas ele estará apto a voltar aos treinamentos", disse Tannure ao site oficial do clube.