Sem descanso: Defensa y Justicia não poupa e atua com time quase completo antes de final diante do Palmeiras

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·3 minuto de leitura


Ganhador da última edição da Copa Sul-Americana, o Defensa y Justicia será o adversário do Palmeiras na Recopa Sul-Americana, torneio que põe frente a frente os dois vencedores das principais copas continentais. Em duelo de ida e volta, a primeira partida será disputada em Buenos Aires, já na próxima quarta-feira (07), enquanto o segundo confronto ocorrerá em Brasília, uma vez que o Allianz Parque não foi liberado para o confronto.

Enquanto o Palmeiras vive indefinições acerca do Campeonato Paulista, atuou nas últimas oportunidades com uma equipe mesclada com jovens e, desde a final da Copa do Brasil, no dia 08/03, não utiliza seus principais jogadores em conjunto, o Defensa y Justicia segue na ativa e sem descanso para os atletas. Na noite deste sábado (03), pela oitava rodada do Campeonato Argentino, o time perdeu por 2 a 1 do Boca Juniors.

Atuando fora de casa, em La Bombonera, o time visitante saiu na frente aos oito minutos do primeiro tempo, com gol do centroavante Walter Bou. Aos 19, Carlitos Tevez empatou para o Boca. Na etapa complementar, com Mauro Zarate, a equipe xeneise confirmou a vitória por 2 a 1.

Com campanha de três vitórias, dois empates e três derrotas, o Defensa y Justicia contabiliza 11 pontos ganhos e ocupa a sexta colocação do Grupo B. Faltando cinco partidas para o término da primeira fase, a equipe se encontra a dois do Independiente, quarto colocado e primeiro dentro da zona de classificação para a próxima fase.

Treinado por Sebastián Beccacece, o argentino está em sua segunda passagem pelo clube e busca alcançar bons resultados, como na primeira vez. Diante do Palmeiras, o confronto será o décimo do treinador em sua volta. Mesmo sem títulos em sua curta carreira, no período em que treinou o Defensa alcançou um inédito vice-campeonato argentino, ficando atrás apenas do Racing.

Aos 40 anos, além da bem sucedida passagem pelo clube de Florêncio Varela, ele também acumula no seu currículo trabalhos na Universidad de Chile, Independiente e Racing, equipe que treinou na última temporada.

Discípulo e ex-assistente de Jorge Sampaoli, o jovem comandante joga com uma linha de três, geralmente composta por Breitenbruch, Arias e Meza. Caraterístico do treinador argentino, o time gosta de ficar com a bola nos pés, terminando as partidas geralmente com a posse superior ao adversário. Sem a bola, pressiona principalmente a saída de jogo, algo que muitas vezes foi problema para o Palmeiras ao longo da temporada 2020.

Individualmente, o grupo tem como grande destaque o ala-esquerda Marcelo Benítez. Em oito partidas no Campeonato Argentino, o jogador soma três gols e bons números, com 16 desarmes, 14 cortes, 12 interceptações. Atacando, tem 68% dos dribles bem sucedidos e média de 1.5 finalização por jogo.

Na defesa, o xerife é Adonis Frias, nome cogitado no São Paulo recentemente. Apesar de muitas vezes atuar com linha alta, o camisa 2 utiliza da boa velocidade para colecionar estatísticas. Em oito jogos, tem 28 cortes, 20 interceptações e 16 desarmes, sendo o zagueiro com mais precisão de passe na liga, com 88%. Em contrapartida, também é quem mais tomou cartões amarelos, com cinco.

Já no ataque, quem comanda é o artilheiro Walter Bou. Emprestado pelo Boca, o camisa 7 é o artilheiro da equipe na competição, com cinco gols e uma assistência. Com duas chances criadas, duas perdidas, além de 7 passes decisivos, o centroavante ex-Vitória não precisa de muitos toques para surpreender e pode ser fatal diante do Palmeiras.