Sem definição sobre público local, COI elogia circuito fechado dos Jogos de Inverno de Pequim: 'Muito seguro'

·2 min de leitura


Diante do aumento crescente de casos da variante Ômicron do coronavírus na China, os organizadores dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de Pequim, que estão marcados para acontecer entre os dias 4 e 20 de fevereiro, ganharam elogios do Comitê Olímpico Internacional (COI) pelo seu "sistema de gerenciamento de ciclo fechado" em uma tentativa de conter a Covid-19.

O plano válido para atletas, equipes técnicas, imprensa e demais envolvidos na operação do evento prevê que todos sejam submetidos a testes diários e não possam acessar o "mundo exterior" enquanto estiverem em Pequim.

+ Como nova onda de Covid-19 afetou a reapresentação de clubes brasileiros

Os não vacinados devem completar uma quarentena de três semanas antes de poderem viajar para locais aprovados. Cerca de mil pessoas já entraram no circuito fechado desde que ele entrou em operação, no dia 4 de janeiro.

- O sistema é muito seguro e é muito difícil de comparar com qualquer lugar do mundo, porque temos uma população totalmente vacinada e muitas vezes de reforço que está sendo testada diariamente com um PCR. Estamos em um lugar seguro e o comportamento das pessoas é muito bem compreendido e aplicado. Quando se trata de um surto na China, é chamado de circuito fechado por esse motivo. Isso significa que não haverá contato entre pessoas de fora e de dentro do circuito. Se houver algum surto e agora eles estão acontecendo em diferentes prefeituras, estamos muito protegidos dentro do circuito pelo motivo de que não pode haver contato direto entre as duas entidades - explicou Pierre Ducrey, diretor de operações dos Jogos Olímpicos do COI.

Uma decisão sobre a presença ou não de público local durante os Jogos ainda não foi anunciada, e o COI tem mostrado confiança nas medidas adotadas pelo governo. A presença de espectadores estrangeiros já havia sido vetada pelo Comitê Organizador.

Nos últimos dias, o registro de 97 casos da variante Ômicron na cidade de Tianjin, situada a menos de 150 quilômetros da capital chinesa, ligou o alerta das autoridades. O país é considerado um dos mais rígidos no controle do coronavírus. Além disso, Anyang se tornou a terceira cidade chinesa a entrar em lockdown devido ao surgimento de infecções pela Omicron depois de Xi'an e Yuzhou. O número de pessoas confinadas no país chegou a 20 mil.

- Sabemos que há conversas sobre isso para finalizar a posição, mas neste momento não temos mais informações para compartilhar. Sobre as circunstâncias em que os fãs poderão vir aos locais e como isso acontecerá, eu me refiro ao Comitê Organizador. Não houve nenhuma decisão neste momento - disse Ducrey.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos