Sem convencer, Santos vence Delfín e lidera grupo na Libertadores

Gabriel Grey
LANCE!
Lucas Verissimo comemora seu gol na vitória do Santos (Marcello Zambrana/AGIF)
Lucas Verissimo comemora seu gol na vitória do Santos (Marcello Zambrana/AGIF)

Jogando com portões fechados por uma punição da Conmebol ainda de 2018, o Santos superou a ausência de seu torcedor na Vila Belmiro e venceu, sem convencer, o Delfín por 1 a 0 em seu primeiro jogo como mandante na Libertadores. Lucas Veríssimo marcou o gol da vitória do Peixe.

Confira e simule a tabela do Campeonato Paulista

Com o resultado, a equipe de Jesualdo Ferreira atingiu seis pontos e é líder isolado do Grupo G da Libertadores. O Santos volta agora suas atenções para o Campeonato Paulista, onde enfrenta o São Paulo, no próximo sábado, às 19h, no Morumbi. Pela Libertadores, o Peixe retorna aos gramados na próxima terça-feira, às 21:30, contra o Olimpia, na Vila Belmiro.

Pressão e gol do Peixe
Apesar de estar com o estádio vazio e sem o apoio de sua torcida, o Santos mostrou que estava a fim de jogo e tomou a iniciativa da partida. Logo aos 5 minutos, Sasha recebeu, girou, arriscou o chute de fora da área e viu a bola passar por cima do gol. A pressão continuou. Aos 9, após cruzamento na área, Kaio Jorge subiu sozinho e cabeceou para fora. Quando o Delfín parecia estar entrando na partida, o Peixe abriu o placar. Após cruzamento de Sánchez, aos 29, Lucas Veríssimo, de cabeça, fez 1 a 0 e tranquilizou os donos da casa.

Jogo esfria
A equipe de Jesualdo Ferreira diminuiu a intensidade no ataque e só voltou a assustar no fim do primeiro tempo. Aos 37, Sanchez fez boa jogada no meio campo e rolou para Diego Pituca. O meia chutou forte, colocado, obrigando Baroja a fazer grande defesa. Dois minutos depois, foi a vez de Sanchez testar o goleiro. O meia arriscou outra bomba de fora da área, mas o arqueiro do time equatoriano salvou mais uma vez. A resposta do Delfín veio no último lance da primeira etapa. Aos 47, Alaniz aproveitou a sobra do escanteio e, de longe, soltou a bomba. A bola tirou tinta da trave de Everson e o árbitro encerrou a primeira metade da partida.

Vitória em casa
O Santos voltou muito mal para o segundo tempo. O clube paulista errava muitos passes na saída de bola e dava campo para o Delfín jogar. Aos 10, Nazareno cruzou e, da entrada da área, Alaníz chegou batendo de primeira. A bola passou perto da trave, assustando o goleiro Everson. Jesualdo mudou a equipe e lançou Arthur Gomes e Yuri Alberto na partida. O Peixe melhorou e conseguiu chegar pela primeira vez na segunda etapa apenas aos 25 minutos. Após boa jogada de Soteldo, Yuri Alberto recebeu na área, chutou cruzado e a bola raspou a trave Baroja. O Peixe não conseguia imprimir o ritmo de jogo que apresentou no primeiro tempo e administrava a partida. Os donos da casa ainda levaram um susto no fim. Aos 42, Valencia recebeu pelo lado direito, fez um cruzamento de três dedos e Pará chegou rasgando da área. No rebote, Noboa chegou batendo forte e Everson se esticou para fazer boa defesa e garantir a vitória pouco inspirada do Santos.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 1 X 0 DELFÍN
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data – Hora: 10 de março de 2020 – 19h15
Arbitragem: Kevin Ortega (PER) NotaL!: 7,0 Acertou nas decisões e controlou bem a partida.
Assistentes: Michel Orue (PER) e Jesus Sanchez (PER)
Gramado: Bom
Público e renda: -
Cartão amarelo: Luan Peres; Jobson; Lucas Veríssimo; Felipe Jonatan (SAN) / Cangá; Calderon; Alaníz (DLF)
Cartão vermelho: -
GOL: Lucas Veríssimo 29' 1º (1-0)

Santos: Éverson; Pará, Lucas Verissimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Sánhez (Evandro, 43' 2ºT) e Diego Pituca; Eduardo Sasha (Arthur Gomes, 12' 2ºT), Soteldo e Kaio Jorge (Yuri Alberto - Intervalo). Técnico: Jesualdo Fereira.

Delfín: Baroja; González, Cangá, Ale e Nazareno; Rojas (Cifuente, 45' 2ºT), Calderon (Benitez, 40' 2ºT), Noboa e Corozo (Valencia, 26' 2º); Alaniz e Garcés. Técnico: Carlos Ischia.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também