Sem Benítez, Vasco volta a ser previsível no empate com o Fortaleza

Felippe Rocha
·1 minuto de leitura


O técnico Ricardo Sá Pinto entende que qualquer um dos times poderia ter vencido o jogo desta quinta-feira, em São Januário. Já o goleiro Fernando Miguel avalia o Fortaleza como o time mais próximo da vitória. Fato é que o Vasco, mesmo em casa, não conseguiu ter o mesmo rendimento da última partida. Mas o treinador justifica.

- O adversário baixou muito as linhas, assim perdemos profundidades com o Léo e com o Neto. Eles esperaram por nós. Criamos algumas oportunidades. tentamos explorar o lado contrário, era uma estratégia e as tivemos. Poderíamos ter feito o gol. essa era a estratégia - explica Sá Pinto, lamentando a noite pouco produtiva dos alas:

- Nem o Léo estava tão fresco, nem o Netinho (Neto Borges). Há jogos em que a equipe está mais fresca (fisicamente). Este adversário está organizado, tem bons jogadores e é perigoso no contra-ataque. Se quiserem desvalorizar o Fortaleza, eu não desvalorizo. É uma boa equipe, como todas são - avaliza.

-> Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

De fato, o time visitante esteve mais próximo da vitória do que o Cruz-Maltino. Ofensivamente, o Vasco, sem Benítez, esteve pobre. Veremos o futuro.